REDES SOCIAIS

33°C

Ainda com pagamentos atrasados, Cacerense arrecada 60% da folha salarial do elenco

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Em 5º lugar na tabela de classificação do Mato-grossense, o Cacerense vive situação extracampo delicada. O clube atrasou os salários de janeiro do elenco e da comissão técnica. Em crise, a diretoria chegou a pedir ajuda financeira para dar continuidade ao projeto no Estadual. Com o apoio, foi arrecadado cerca de 60% da folha salarial do plantel – estabelecida em quase R$ 50 mil.

Toda a receita líquida da partida contra o Nova Mutum foi destinada para pagar os salários. Com o maior público da 6ª rodada, a Fera da Fronteira obteve R$ 14.840,00 de renda. Do valor total, R$ 12.700 foram repassados para pagar os atletas. A outra parte foi arrecadada a partir de doações da torcida e contribuições de empresários do município.

Parte do débito com os jogadores começou a ser quitado. Alguns receberam o valor integral e outros uma porcentagem do salário. A expectativa é de que até o próximo fim de semana 100% do grupo esteja com os pagamentos em dia.

Em crise nos bastidores, o então presidente Tovar de Arruda e Silva deixou o clube. No lugar dele assume Paulo Leite, que presidiu o Cacerense no acesso à primeira divisão estadual em 2022.

Na briga pela classificação à próxima fase, os jogadores estão comprometidos em cumprir a meta de chegar ao mata-mata do campeonato. Uma paralisação por parte do elenco é desconsiderada neste momento.

Na próxima rodada, o Cacerense tem duelo direto contra o Dom Bosco e, em caso de vitória, pode se aproximar das primeiras colocações. A Fera da Fronteira aparece em 5º lugar, com 8 pontos, enquanto o Leão da Colina é o 4º colocado, com 10.

Fonte GE Esportes

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS