REDES SOCIAIS

12°C

ALMT aprova liberação de remédios à base de Cannabis no SUS; Wilson acredita em sanção de Mendes

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

image

Os deputados da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) aprovaram, nesta quarta-feira (04), o Projeto de Lei (PL) 30/2022, do deputado Wilson Santos (PSD), que determina o fornecimento de medicamentos à base de canabidiol – uma substância extraída da planta Cannabis, popularmente conhecida como maconha – pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em Mato Grosso. Wilson acredita que a proposta, que já foi vetada anteriormente pelo governador Mauro Mendes (UB), deve ser sancionada desta vez.

“Agora, vou fazer um trabalho junto ao governador Mauro Mendes para que ele não vete. A Assembleia aprovou hoje também o projeto que obriga o Estado a adquirir o remédio a base de canabidiol para pessoas que tem o mal de Alzheimer, para pessoas que tem mal de Parkinson, para mais de 10 tipos de câncer, epilepsia, para que ele adquira os remédios e coloque na rede SUS às famílias mais pobres. O projeto é o mesmo, agora só aumentou o número de autores, agora também é o deputado Lúdio Cabral e o deputado Dr. João”, afirmou, em entrevista à imprensa.

A proposta foi apresentada em 2021, sendo aprovada e encaminhada à sanção de Mendes. Contudo, o chefe do Palácio Paiaguás vetou o projeto. Os deputados, ao votarem o veto, se posicionaram pela sua permanência. No início do ano, Wilson apresentou o mesmo projeto novamente.

O parlamentar explicou que não existem diferenças entre o projeto antigo, que foi vetado, e o atual. Entretanto, o deputado acredita que Mendes deve sancionar a proposta porque possui “mais informações” desta vez, tendo se reunido com mães de crianças epilépticas que conseguem controlar as crises com o medicamento à base de canabidiol.

“Porque ele tem mais informações, mães de crianças epilépticas que chegaram a ter 40 convulsões por dia fizeram um apelo a ele. Nós vamos preparar uma audiência com ele, para que ele tenha o máximo de informações por dia. Eu tenho certeza que hora que ele tiver conhecimento dos benefícios que essa medicação traz, eu tenho certeza que ele vai ser sensível à vida e vai sancionar o projeto. Se não sancionar, a luta continua, e vou trabalhar para derrubar o veto aqui na Casa”, finalizou.

Fonte: Isso É Notícia

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS