REDES SOCIAIS

21°C

Após criticar fala de Lula sobre Israel, Pacheco diz que ‘nada abala’ relacionamento entre eles

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), afirmou nesta quarta-feira (21) durante pronunciamento no Congresso que “nada abala” o relacionamento entre ele e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

A fala de agora ocorre um dia depois de Pacheco classificar como “inapropriada” e “equivocada” declaração de Lula comparando a guerra entre Israel e Hamas com o Holocausto. Pacheco ainda mencionou a necessidade de uma retratação (leia mais abaixo).

“Nada abala a minha relação com o presidente Lula, a minha relação de colaboração, de respeito, e de admiração, que eu sei que é também recíproco”, afirmou Pacheco.

window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

“Isto não influenciará negativamente a minha relação com o presidente. Não só a relação pessoal, do Rodrigo Pacheco com Luiz Inácio Lula da Silva, mas a relação institucional que é o que mais importa”, prosseguiu.

O presidente do Senado ainda elogiou Lula dizendo que “testemunhou” o quão prestigiado o presidente da República é fora do Brasil.

Segundo ele, isso ocorreu quando ele acompanhou a agenda do Brasil durante a conferência do clima da Organização das Nações Unidas (ONU), a COP 28, em dezembro do ano passado, nos Emirados Árabes.

Repreensão

Pacheco negou que a fala dele nesta terça-feira (20), durante sessão deliberativa na Casa, tenha sido uma repreensão ao presidente Lula, mas reforçou os pontos negativos da comparação.

“Foi uma comparação infeliz, inadequada, e, se for esclarecido, ou houver uma retratação, ou esclarecimento em relação a isso, eu considero que resolve o problema diplomático”, disse.

Pacheco argumentou também que não quis marcar posicionamento em um dos lados, mas tentou ? com o pronunciamento ? analisar possíveis soluções para a crise diplomática entre Brasil e Israel.

“O meu posicionamento não foi uma tomada de lado, foi apenas uma reflexão sobre uma parte da fala, que eu sinto, foi inadequada, foi infeliz, e poderia ser corrigida”, afirmou.

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS