REDES SOCIAIS

33°C

Após defender filiação, áudio de Rosa Neide revela que deputada tentou barrar atriz pornô; ouça

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

image

Contraditória, a deputada federal Rosa Neide não aceitou a filiação da atriz pornô Esther Caroline Perralto, popularmente conhecida como ‘Tigresa Vip’, no Partido dos Trabalhadores (PT), e se movimentou junto à Executiva Nacional para suspender o ato, segundo áudio encaminhado à correligionários e que o teve acesso. A parlamentar pontuou que não estaria disposta a fazer campanha para ser “chacota”, se referindo à repercussão negativa da entrada de Tigresa na sigla.

Anteriormente, à imprensa, a parlamentar havia defendido a filiação de Tigresa, que pretende disputar uma vaga à Assembleia Legislativa (ALMT), e negou suposto preconceito do partido devido ao fato dela ser atriz pornô. Contudo, o áudio revela uma opinião diferente, com Rosa Neide citando que a filiação de Esther teria virado ‘chacota’.

“Acabei de receber um vídeo feito por esta moça recém filiada ao PT. Eu encaminhei agora para a presidenta [nacional do PT e deputada federal] Gleisi [Hoffmann], assim como um texto meu como deputada federal de Mato Grosso colocando a situação. E a partir de segunda-feira o partido nacional há de analisar o que nós aqui de Mato Grosso estamos a enfrentar”, disse.

“Quero comunicar a todos que eu fiz o comunicado, porque se é para fazer campanha política sendo chacota para o país, não estou disposta. Então, já enviei para a presidenta e espero que segunda-feira o nosso presidente Valdir Barranco e o restante da Executiva do partido possa fazer uma reunião para discutir a questão antes que seja tarde demais”, concluiu.

A candidatura de Tigresa foi suspensa em uma decisão do Diretório Estadual, presidido pelo deputado estadual Valdir Barranco. A determinação teria sido por nove votos favoráveis, um contrário e duas abstenções. Após a nota pública do PT, a atriz acionou um advogado e destacou que a expulsão é “invalida”, alegando preconceito.

“Diante do ordenamento jurídico a decisão de suspensão da filiação acima citada é absolutamente nula, inválida, também anulável, eivada de vícios intransponíveis. […] Além de persecutória e inquisitiva, houve flagrante desvio de finalidade, quando confrontados os fundamentos usados para “justificar” esse ato inédito”, pontuou o advogado de Esther, Paulo Lemos.

A vereadora por Cuiabá Edna Sampaio, o deputado estadual Lúdio Cabral e o ex-juiz federal Julier Sebastião, todos filiados à sigla, saíram em defesa de Tigresa e se posicionaram a favor da filiação. Esther aguarda um posicionamento oficial da Executiva Nacional sobre a filiação e disse que segue acreditando no PT.

Outro lado

A reportagem do tentou entrar em contato diversas vezes com Rosa Neide, mas não obteve retorno. O espaço segue aberto para manifestações.

Ouça o áudio

Fonte: Isso É Notícia

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS