REDES SOCIAIS

22°C

Após reunião, ‘terceira via’ marca novo encontro para tentar definir critérios de candidatura única

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Os dirigentes do MDB, PSDB, Cidadania e União Brasil se reuniram nesta terça-feira (26) e anunciaram que devem ter um novo encontro para formalizar a lista de critérios que será levada em consideração para a escolha de um candidato único à Presidência.

A reunião desta terça (26) ocorreu dois dias após um jantar entre pré-candidatos e representantes de partidos, organizado pelo pré-candidato à Presidência da República pelo PSDB, João Doria (SP), ter sido cancelado.

A assessoria de João Doria informou no domingo (24) que a pauta do encontro seria a ?discussão de critérios e caminhos para um projeto único? ? mesmo tema da reunião desta terça. Segundo o blog da jornalista Ana Flor, a avaliação interna dos partidos foi de que o ex-governador de São Paulo forçava protagonismo nas discussões.

Participaram das discussões nesta terça os presidentes: do MDB, Baleia Rossi (SP); do PSDB, Bruno Araújo; do Cidadania, Roberto Freire; e o vice-presidente do União Brasil Antonio de Rueda, além do líder do União Brasil na Câmara, Elmar Nascimento (BA).

Segundo Baleia Rossi, presidente nacional do MDB, cada um dos partidos discutirá internamente os fatores considerados essenciais para a escolha do ?candidato de consenso?.

?Ficamos de fazer uma nova rodada de conversas na semana que vem já com um quadro mais claro do que cada partido pensa como critérios?, disse Rossi.

O MDB, o PSDB, o Cidadania e o União Brasil acordaram, no último dia 6, que apresentarão, em 18 de maio, um ?candidato de consenso? à presidência.

Apesar de questionada por membros das siglas e por pré-candidatos, como Ciro Gomes (PDT), o prazo final está mantido. Na ocasião, os critérios para a escolha do chamado nome de ?consenso? também não foram decididos.

?Não está definido. Temos vários fatores que serão importantes: intenção de voto; possibilidade de crescimento dentro do que espera o eleitor do centro democrático; temos a questão da rejeição; temos a opinião, que é importante, dos parlamentares, deputados federais e senadores; e temos a impressão e a colaboração dos diversos palanques regionais que teremos?, disse o presidente do MDB.

O presidente do PSDB, Bruno Araújo, disse que os dirigentes dos partidos se comprometeram a “voltar” aos seus partidos para amadurecer a questão.

?Não há consenso sobre isso, ficamos de voltar aos nossos partidos para amadurecermos esses critérios, e esperamos que na semana que vem tenhamos avançado sobre essa decisão. Independentemente dessas reuniões, estamos em um canal aberto de conversação, de diálogo e de construção?, afirmou Bruno Araújo.

?Começamos a fazer simulações do que cada partido imagina que possa colaborar na escolha dessa candidatura, não há consenso ainda sobre os critérios?, acrescentou.

Mais cedo, durante participação na XXIII Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios nesta terça-feira (26), a pré-candidata do MDB à Presidência, Simone Tebet (MS), disse que espera que a intenção de votos não seja o único critério. “Quero que seja o critério que nos leve ao segundo turno?, afirmou.

Ciro Gomes

Os dirigentes dos partidos afirmaram que estão abertos ao diálogo com ?qualquer partido? disposto a discutir uma alternativa ao que chamam de polarização formada por Jair Bolsonaro (PL) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Nesta terça, em entrevista à Rádio Bandeirantes, o pré-candidato do PDT a presidente, Ciro Gomes, voltou a dizer que está disposto a conversar com os membros da chamada terceira via.

?O [Luciano] Bivar, que assumiu a presidência do União Brasil, me perguntou se eu aceitava participar de um diálogo. Ora, diálogo é diálogo, eu aceito participar. Evidente que eu aceito participar?, afirmou.

Horas após o novo aceno de Ciro, Roberto Freire, presidente do Cidadania, disse que o grupo está aberto a ouvir o candidato do PDT.

?Nunca perdemos o diálogo com Ciro. Desde o começo, está firme essa ideia, e estamos abertos para discuti-la com qualquer partido. Vamos aguardar, quem sabe??, declarou Freire.

?Não podemos vetar ninguém, e em todos os momentos que reunimos, acenamos para todo e qualquer partido que desejasse. Não há veto a nenhum dos candidatos e a nenhum partido político?, disse o presidente do Cidadania.

VÍDEOS: notícias sobre política

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS