REDES SOCIAIS

14°C

Apuração preliminar de assédio na Caixa vira inquérito civil por determinação do MP do Trabalho no DF

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

O procurador Paulo Neto, do Ministério Público do Trabalho no Distrito Federal, decidiu transformar em inquérito civil a apuração preliminar que tinha sido aberta para investigar as denúncias de assédio na Caixa Econômica Federal, sob a gestão do ex-presidente Pedro Guimarães.

“Considerando que os fatos narrados autorizam a tutela de direitos a cargo do Ministério Público do Trabalho, CONVERTA-SE a notícia de fato em inquérito civil”, escreveu o procurador.

Na decisão, Paulo Neto determinou que a Caixa seja notificada para, em 10 dias, juntar ao inquérito civil “cópia integral dos procedimentos administrativos decorrentes do recebimento” de 14 denúncias apresentadas entre 2019 e 2022 no canal interno contra Pedro Guimarães.

LEIA TAMBÉM

O banco terá que apresentar ainda “cópias integrais de eventuais procedimentos administrativos decorrentes de 02 (duas) denúncias que teriam sido apresentadas no “Viva Voz” por uma funcionária da CAIXA no ano de 2020, relacionadas a possível assédio moral que teria sido praticado pelo ex-presidente da empresa pública durante uma live ocorrida no fim de maio daquele ano”.

O procurador pediu ainda que a Caixa esclareça “sobre a existência de outros sistemas de queixa interna, como o “Viva Voz”, que seria vinculado ao Departamento de Gestão de Engajamento, Benefícios e Rede (GEBER) na sede do banco, em Brasília, considerando a informação da CAIXA de que em abril/2019 passou a operar o Canal de Denúncias administrado pela empresa CONTATO SEGURO”.

O MPT tinha aberto uma apuração preliminar no fim de junho, após as denúncias publicadas na imprensa contra o então presidente da Caixa. As denúncias foram publicadas pelo site Metrópoles nesta no dia 28 de junho e confirmadas pela TV Globo. O Ministério Público Federal também investiga o caso.

Agora, com o inquérito civil, as investigações prosseguem e podem, posteriormente, resultar na proposição de ações do MP do Trabalho na Justiça.

Leia outras notícias da região no g1 DF.

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS