REDES SOCIAIS

17°C

Brasil registrou 3,4 milhões de possíveis violações de direitos humanos em 2023, diz relatório da Anistia Internacional

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email
window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

Um relatório global divulgado nesta quarta-feira (24) pela Anistia Internacional, com dados de 156 países, revela que o Brasil registrou mais de 3,4 milhões de possíveis violações de direitos humanos em 2023.

O número considera os registros da Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos, do governo federal, e indica uma alta de 41% em relação às denúncias registradas em 2022.

No relatório “O estado dos direitos humanos no mundo”, publicado pela Anistia Internacional a cada ano, a entidade afirma que o Brasil “continua a ter um dos maiores níveis de desigualdade do mundo” ? o que, segundo eles, afeta principalmente negros, mulheres e pessoas trans.

O relatório tem mais de 400 páginas, e a situação brasileira é descrita em cinco delas. O texto reúne dados gerais e faz menção a episódios específicos, como:

  • os atos golpistas na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, em 8 de janeiro de 2023;
  • os seis dias de operação policial na Favela da Maré, no Rio de Janeiro, que deixaram 120 mil moradores sem acesso a aulas, eletricidade e atendimento médico, por exemplo;
  • as mortes, provocadas por policiais, de crianças e adolescentes como Thiago Menezes (13 anos), Eloah Passos (5 anos) e Heloísa Santos (3 anos);
  • a impunidade em casos como o Massacre de Curió, no Ceará, em 2015, e o caso Marielle ? em que os supostos mandantes só foram presos no mês passado, seis anos após o crime.

Ainda de acordo com o material:

  • pelo menos 394 pessoas foram assassinadas por policiais em operações no Rio de Janeiro, em São Paulo e na Bahia;
  • pelo menos três ativistas de direitos humanos foram mortos por mês, no Brasil, entre 2020 e 2023 ? o dado é da ONG Justiça Global;
  • de janeiro a outubro de 2023, a Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos registrou 3.873 possíveis violações contra pessoas trans ? mais que os 3.309 registrados em todo o ano de 2022;
  • pelo menos 19 mulheres morreram em circunstâncias de abortos não seguros ? a interrupção provocada da gravidez é crime no Brasil, salvo para algumas exceções.

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS