REDES SOCIAIS

35°C

Campanha de Bolsonaro acende sinal de alerta após novos ataques do presidente ao sistema eleitoral

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Depois de prometer respeitar o resultado das eleições e passar a faixa a seu sucessor, o presidente Jair Bolsonaro voltou a atacar o sistema eleitoral e o TSE, acendendo o sinal de alerta dentro do comitê da reeleição. Na avaliação de sua equipe, se ele mantiver os ataques, a eleição vai ser resolvida ainda no primeiro turno, com vitória de Lula.

Em Londres, Bolsonaro disse que vai ganhar no primeiro turno e que, se isso não acontecer, é porque algo de “anormal” aconteceu no Tribunal Superior Eleitoral, voltando a levantar dúvidas sobre o sistema eleitoral e as urnas eletrônicas. Antes, ele já havia feito críticas ao Supremo Tribunal Federal, em discurso na residência do embaixador brasileiro no Reino Unido.

A volta da escalada de ataques à Justiça Eleitoral preocupa aliados e a equipe do comitê de reeleição, porque pesquisas internas mostram que Bolsonaro perde pontos nas pesquisas sempre que faz um discurso numa linha autoritária e insinuando que pode não respeitar o resultado da eleição caso Lula vença a disputa.

Um aliado disse ao blog que Bolsonaro só tem a perder com os ataques ao processo eleitoral no Brasil e que isso já foi dito a ele. “Ele estava no caminho certo, chegou a dizer que respeitaria o resultado e passaria a faixa para o seu sucessor, mas agora essa volta desse discurso nos preocupa na reta final”, afirmou.

Um outro assessor disse que a fala do presidente tem mais o objetivo de “mobilizar” os seus apoiadores nesta reta final, principalmente com o PT tentando criar um clima para ganhar a eleição presidencial ainda no primeiro turno. Reconhece, porém, que ele acaba escorregando e volta a insinuar que pode não respeitar o resultado da eleição, o que afasta ainda mais os indecisos.

Na avaliação de aliados, a tática do PT de ganhar no primeiro turno vai ser reforçada se Bolsonaro insistir nesta linha. Segundo eles, o eleitor indeciso e aqueles que votam em Ciro Gomes e Simone Tebet serão estimulados a optarem por Lula para acabar com a eleição já nesta primeira etapa.

Para eles, é a tática errada e demonstra certo desespero do presidente com a possibilidade de uma derrota, contrariando a avaliação interna de que o presidente vai conseguir passar para o segundo turno. As pesquisas internas, que não são registradas no TSE, apontariam para uma diferença entre cinco e seis pontos.

O Ipec divulgado nesta segunda-feira (19) mostrou Lula com 47% e Bolsonaro com 31%, uma diferença de 16 pontos. O petista tem 52% dos votos válidos, o que lhe daria hoje uma vitória no primeiro turno segundo o levantamento do Ipec.

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS