REDES SOCIAIS

23°C

Caso Dom e Bruno: o que dizem os pré-candidatos à Presidência

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email


window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

A Polícia Federal informou na noite de quarta-feira (15) que Amarildo da Costa Oliveira, conhecido como “Pelado”, confessou ter assassinado o indigenista Bruno Pereira e o jornalista britânico Dom Phillips, desaparecidos na Amazônia desde 5 de junho.

A PF encontrou restos mortais em um local indicado por Amarildo ? ele e o irmão estão presos. O material será encaminhado para perícia em Brasília a fim de confirmar a identificação das vítimas.

Bruno e Phillips foram vistos pela última vez na comunidade São Rafael, a cerca de duas horas de lancha da sede de Atalaia do Norte e próxima à Terra Indígena Vale do Javari. A reserva é palco de conflitos relacionados ao tráfico de drogas, roubo de madeira e garimpo ilegal.

O desaparecimento de Dom e Bruno e a confissão de Amarildo repercutiram no Brasil e na imprensa internacional. O g1 reuniu as declarações dos pré-candidatos à Presidência da República sobre o assunto. Leia o que os presidenciáveis declararam a respeito do caso:

Lula (PT)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva divulgou nota conjunta com o ex-governador paulista Geraldo Alckmin (PSB), pré-candidato a vice na chapa do petista.

?A confirmação do assassinato de Bruno Pereira e Dom Phillips é uma notícia chocante, que nos causa dor e indignação. Nossa primeira palavra é de solidariedade aos familiares, amigos e amigas do indigenista e do jornalista. Bruno e Dom dedicaram a vida a fazer o bem. Por isso percorreram o interior do Brasil, ajudando, protegendo e contando a vida, os valores e o sofrimento dos povos indígenas.

O mundo sabe que este crime está diretamente relacionado ao desmonte das políticas públicas de proteção aos povos indígenas. Está diretamente relacionado também ao incentivo à violência por parte do atual governo do país. O que se exige agora é uma rigorosa investigação do crime; que seus autores e mandantes sejam julgados. A democracia e o Brasil não toleram nem podem mais conviver com a violência, o ódio e o desprezo pelos valores da civilização. Bruno e Dom viverão em nossa memória e na esperança de um mundo melhor?.

Jair Bolsonaro (PL)

O presidente Jair Bolsonaro fez uma postagem curta em rede social, nesta quinta-feira, em resposta a um post da Funai que lamentava o falecimento de Bruno Pereira (ex-servidor do órgão) e Dom Phillips.

“Nossos sentimentos aos familiares e que Deus conforte o coração de todos!”, escreveu Bolsonaro na mensagem.

Desde a semana passada, o presidente defendeu as ações do governo e afirmou que Dom e Bruno fizeram uma “aventura” na região.

?Os indícios levam a crer que fizeram alguma maldade com eles. Pelo prazo, pelo tempo, já temos hoje oito dias, indo para o nono dia que isso tudo aconteceu, vai ser muito difícil encontrá-los com vida. Eu peço a Deus que isso aconteça, que os encontremos com vida, mas os informes, os indícios levam para o contrário no momento?, afirmou o presidente na segunda-feira (13).

Ciro Gomes (PDT)

O pré-candidato do PDT, Ciro Gomes, se manifestou em uma rede social e criticou a atuação das autoridades na região amazônica.

“A forma brutal como os assassinos acabaram com as vidas de Bruno e Dom Phillips mostra que a omissão dos governos criou mais que um estado paralelo, fez nascer um versão cabocla do Estado Islâmico, dentro do nosso território”.

André Janones (Avante)

O deputado federal André Janones se manifestou em uma rede social na tarde de quarta-feira (15), antes do anúncio da Polícia Federal.

“O governo vai falar barbaridades que nós seres humanos teremos nojo ao escutar sobre a morte de Dom e Bruno. E fará isso pra esconder a tragédia que é a inflação hoje e mais um reajuste nos combustíveis. A cortina de fumaça da vez são vidas e ele com nada se importa”.

Simone Tebet (MDB)

A senadora Simone Tebet comentou em uma rede social a confissão dos assassinatos do indigenista brasileiro e do jornalista britânico.

“Defendo severa investigação desse crime bárbaro. É preciso dar um basta à impunidade. Meus sentimentos às famílias do jornalista Dom Phillips e do indigenista Bruno Pereira neste momento inconsolável. Que a coragem desses dois defensores dos direitos humanos e do meio ambiente nos inspire a lutar. O Brasil precisa voltar a ter paz e clama por #JusticaParaDomEBruno”.

Vera (PSTU)

A socióloga Vera Lucia se manifestou em uma rede social.

“O assassinato de Bruno Pereira e Dom Phillips revelam a violência desses empreendimentos capitalistas legais e ilegais em terras indígenas que só causam destruição para o povo em nome do lucro dos ricos. Bolsonaro é responsável porque os protege e desmontou ainda mais a Funai!”

Sofia Manzano (PCB)

Sofia Manzano prestou solidariedade aos familiares e criticou o governo Bolsonaro.

“Total solidariedade com os familiares de Dom e Bruno. Suas mortes estão diretamente ligadas ao incentivo ao garimpo ilegal, ao desmonte da FUNAI e do IBAMA, além total omissão das Forças Armadas na região do Vale do Javari, resultado direto das políticas do Governo Bolsonaro”.

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS