REDES SOCIAIS

26°C

Chuva deixa 1/3 do RS sem água, fecha hospitais e ameaça 12 barragens

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

As chuvas deixam 1,06 milhão de imóveis sem água, 418 mil sem luz e afetam o
funcionamento de 110 hospitais no Rio Grande do Sul. Além disso, a elevação do
nível dos rios coloca sob pressão 12 barragens, segundo o governador Eduardo Leite
(PSDB), em coletiva de imprensa na manhã de hoje, no qual também participou o
presidente Lula (PT).
O que aconteceu
Em dez dias, Rio Grande do Sul registrou o equivalente a três meses de chuva. Ao
todo foram 420 milímetros de precipitação entre os dias 24 de abril a 4 de maio,
conforme o governo do Estado.
Alagamentos fecharam 17 hospitais no Rio Grande do Sul. Outros 75 estão com
atendimento parcial, segundo o governador. Ontem, pacientes foram transferidos de
helicóptero após o HPSC (Hospital de Pronto Socorro de Canoas) ficar alagado.

Das 12 barragens que estão sob pressão, duas delas estão em nível de
emergência. E cinco estão em alerta e outras 5 em nível de atenção. A barragem 14
de Julho, entre Cotiporã e Bento Gonçalves, se rompeu parcialmente na quinta-feira
(2).
1 milhão de imóveis estão sem água no Estado. “Se colocar 3 pessoas por
unidade, a gente está falando em 1/3 da população gaúcha desabastecida”, disse o
governador. Além disso, há 418 mil pontos sem energia, segundo Lei

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS