REDES SOCIAIS

14°C

Em 3,5 anos, Mauro Mendes cumpriu 59% dos compromissos de campanha

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

O governador do Mato Grosso, Mauro Mendes (União Brasil), chega ao último semestre do mandato acumulando 59,3% das promessas feitas durante a campanha cumpridas. Dos 27 compromissos, 16 foram atendidos, oito (29,6%) foram parcialmente efetivados e três (11,1%) não foram cumpridos, conforme levantamento feito pelo g1.

  • Compartilhe esta notícia no WhatsApp
  • Compartilhe esta notícia no Telegram

Na avaliação, foram levados em conta os compromissos firmados durante a última eleição em discursos, entrevistas, debates, no plano de governo registrado no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT) e na posse.

As promessas cumpridas nos 3,5 anos de mandato foram:

  • Pagar servidores, fornecedores, poderes e repasses obrigatórios em dia;
  • Criar um programa de desburocratização, simplificação da legislação tributária e ambiental;
  • Implantar Previdência Complementar para os novos servidores e opcional para servidores nomeados;
  • Reduzir carga tributária sobre o óleo diesel;
  • Oferecer pós-graduação e bolsas de estudo a professores;
  • Implantar um programa de apoio à construção e implantação de Planos e Sistema Municipais de Cultura;
  • Criar programa para melhorias na infraestrutura das escolas e retomar e finalizar obras paradas;
  • Implantar o Plano Estadual de Esporte e Lazer;
  • Implantar um programa de pavimentação urbana e de sinalização;
  • Pavimentar, recuperar e realizar a manutenção de rodovias estaduais com recursos do Fethab e fazer uma Parceria Público-Privada (PPP);
  • Retomar obras do Hospital Universitário Júlio Müller;
  • Repassar em dia recursos aos municípios para saúde;
  • Criar o programa Tolerância Zero;
  • Instituir o Observatório Estadual da Violência;
  • Criar Disque Denúncia exclusivo para o combate ao tráfico de drogas;
  • Implantar programa para melhorar pontos turísticos.

Promessas não cumpridas:

  • Concluir o parque tecnológico de MT;
  • Fazer concurso público para educação;
  • Concluir as obras do Rodoanel em Cuiabá.

Promessas cumpridas parcialmente pela gestão:

  • Cortar cargos comissionados e extinguir secretarias;
  • Ampliar as exportações em quantidade, diversificação e valor agregado dos produtos;
  • Criar o Conselho de Segurança Escolar;
  • Pagar a RGA aos servidores da educação e cumprir o previsto na Lei Orgânica dos Profissionais de Educação;
  • Concluir obras de casas populares que estão paradas e investir o dinheiro do Fethab em habitação;
  • Concluir as obras previstas para a Copa de 2014;
  • Concluir as obras rodoviárias, paralisadas ou em andamento em MT;
  • Criar consórcio para compra de medicamentos.

Quais são os critérios para medir as promessas?

  • Não cumpriu: os compromissos que constam como não cumpridos foram prometidos, mas não foram realizados e não estão valendo/em funcionamento.
  • Em parte: quando a promessa foi cumprida parcialmente, com pendências.
  • Cumpriu: quando a proposta foi totalmente cumprida, sem pendências.

Ou seja, se a promessa é inaugurar uma obra, o status é ?cumpriu? apenas se a obra já tiver sido inaugurada; caso contrário, é ?não cumpriu?. Se a promessa é construir dez hospitais e cinco já foram inaugurados, o status é ?em parte?.

Quais promessas são levadas em conta?

  • Promessas feitas durante a campanha: ou seja, o que o candidato promete em discursos, entrevistas, planos de governo, enquanto ainda não foi eleito.
  • Promessas entre a eleição e a posse: também são consideradas promessas pontuais feitas em outras ocasiões, como discursos de posse, desde que elas não signifiquem uma redução do que foi prometido na campanha.

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS