REDES SOCIAIS

19°C

Equipe econômica vai propor a Lula medidas para cumprir as metas fiscais do arcabouço para conter alta do dólar

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

A equipe econômica vai propor nesta quarta-feira (3) ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) a definição de medidas para cumprir as metas fiscais do arcabouço neste e nos dois próximos anos ? os últimos do atual mandato do petista.

Segundo interlocutores dos ministros da Fazenda, Fernando Haddad, e do Planejamento, Simone Tebet, esse é o caminho para acalmar o mercado cambial.

O primeiro sinal a ser emitido nesse sentido seria definir um bloqueio de verbas em julho para buscar o cumprimento da meta de déficit zero neste ano. E também em 2025 e 2026.

Caso contrário, na avaliação da equipe econômica, o risco é que a inflação seja maior no fim do mandato do presidente Lula, o que comprometeria as chances de reeleição.

window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

Nesta terça (2), por sinal, o preço do dólar recuou, depois de o ministro Fernando Haddad ter dito que:

  • o governo não adotaria nenhuma medida na área cambial;
  • defendeu acertar o tom da comunicação sobre a autonomia do Banco Central; e
  • afirmou que a reunião com Lula será para tratar do arcabouço fiscal

A partir disso, o preço do dólar, que chegou a bater em R$ 5,70, fechou apenas com leve alta, em R$ 5,66.

Dentro da equipe econômica do governo Lula, a avaliação é que o presidente está errando ao questionar a autonomia do Banco Central e fazer declarações que acabam indicando o que ele quer do próximo presidente do BC.

O mercado, por mais que Lula não goste, acaba reagindo a essas declarações do presidente, antecipando movimentos do próximo ano, quando o temor entre investidores é de que o sucessor de Roberto Campos Neto seja tolerante com uma inflação perto do teto da meta ou mesmo um pouco acima dela.

?Por mais que não gostem, não adianta, o mercado age antecipadamente, sempre foi assim, e ele só vai acalmar agora quando o governo mostrar que vai cumprir suas metas fiscais e parar de lançar dúvidas sobre o futuro do Banco Central?, diz um assessor presidencial sobre como reduzir o mau humor do mercado financeiro.

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS