REDES SOCIAIS

23°C

?Estão querendo tapar o sol com a peneira. É uma questão eleitoral e o preço vai ficar a mesma coisa”, garante Bezerra

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

image

O deputado federal Carlos Bezerra (MDB), confirmou que o projeto que reduz imposto sobre o preço dos combustíveis, não vai alterar em nada o preço. Ao contrário, retirar receita dos estados. “Estão querendo tapar o sol com a peneira. É uma questão eleitoral e o preço vai ficar a mesma coisa. Não vai alterar nada e vai tirar receita dos estados, fazendo cortesia com chapéu alheio. É uma falácia isso aí. Acho, inclusive, que é inconstitucional”, disse Carlos Bezerra.

Conforme o deputado o assunto virou eleitoreiro. “A eleição está aí e está todo mundo querendo se salvar. E a bomba de gasolina é um dos cabos eleitorais, terríveis, o supermercado, a gasolina, são os cabos eleitorais mais terríveis dessa campanha que vão e vai degolar muita gente. O supermercado e a gasolina vão botar muita gente na rua, fora do mandato”.

Redução 

Após aprovação pela Câmara dos Deputados nesta quarta-feira (15), será enviado para sanção presidencial o PLP 18/2022, que determina a aplicação de alíquotas de ICMS pelo piso para produtos e serviços essenciais quando incidente sobre bens e serviços relacionados aos combustíveis, ao gás natural, à energia elétrica, às comunicações e ao transporte coletivo.

Os deputados aprovaram parte das emendas incluídas pelo Senado, o que vai garantir complementação da União aos estados para atingir os percentuais mínimos de aplicação em saúde e educação.

Na maior parte dos estados o piso do ICMS é de 17% ou 18%. De acordo com o substitutivo do deputado Elmar Nascimento (União-BA) para o PLP, do deputado Danilo Forte (União-CE), até 31 de dezembro de 2022 haverá uma compensação paga pelo governo federal aos estados pela perda de arrecadação do imposto por meio de descontos em parcelas de dívidas refinanciadas desses entes federados junto à União.

Ao todo foram aprovadas, parcial ou totalmente, 9 de 15 emendas com novidades como redução a zero, até 31 de dezembro de 2022, de PIS/Cofins e da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) incidentes sobre as operações com gasolina e etanol, inclusive importados.

 

Fonte: Isso É Notícia

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS