REDES SOCIAIS

34°C

Fábio Garcia sinaliza incerteza sobre apoio a Botelho: “Ninguém pode me cobrar”

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Fred Moraes

Única News

@media only screen and (max-width: 767px) {
.img-wrapper {
margin-bottom: 5px;
}

.content-title {
margin-bottom: 10px;
}
}

O secretário-chefe da Casa Civil, Fábio Garcia (União Brasil), afirmou indiretamente que sua presença no palanque de apoio à candidatura do deputado estadual Eduardo Botelho (União Brasil) à Prefeitura de Cuiabá, com quem disputou internamente a preferência do partido, ainda não está confirmada. Fábio salientou que seu compromisso foi firmado apenas com o União Brasil, e não com correlegionários.

Durante uma coletiva de imprensa nesta quinta-feira (22), Fábio disse que ainda não encontrou Eduardo Botelho após a escolha do partido, por isso, não alinhou nenhum acordo. Além disso, garante estar focado na gestão da Casa Civil, que já dura 8 meses.

“Eu estive em Brasília e a gente se falou por telefone bem rapidamente e não tivemos mais diálogo. A decisão foi muito recente, agora estou tratando das questões dessa minha permanência na Casa Civil, temos bastante tempo para isso. Eu fiz uma construção bastante leal ao partido político que pertenço. Acredito que não há como ninguém me cobrar, neste momento, lealdade ao partido e vou conversar sobre Cuiabá [com Botelho]”, declarou Fábio Garcia na posse da nova gestão da Associação Mato-Grossense dos Municípios (AMM), nesta quinta-feira (22).

O apoio de Fábio na candidatura de Botelho é um pedido do próprio deputado, que tem dito que almeja o auxílio do secretário, que em sua visão, possui uma visão ampla sobre Cuiabá e uma capacidade técnica diferente.

“[Apoio] isso nós vamos buscar. Uma interlocução com o Fábio Garcia, ele vai ser importante para nós, tanto para ganharmos as eleições, assim como para fazer uma gestão boa por Cuiabá, com o secretário da Casa Civil que vai ficar, como deputado federal que ele é. Então, ele tem uma importância muito grande, tanto para ganhar, como para fazer uma gestão boa em Cuiabá”, disse Botelho na última semana.

Fábio e Botelho disputaram internamente a escolha do partido por cerca de sete meses. Enquanto Fábio era o favorito do Palácio Paiaguás, Botelho tinha o coração dos mais antigos do União Brasil.

Fonte: Isso É Notícia

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS