REDES SOCIAIS

23°C

Fávaro resiste em tirar acusado de liderar tráfico internacional de drogas do partido

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Mesmo denunciado pelo Ministério Público Federal (MPF) em um esquema de tráfico internacional de drogas, o ex-secretário de Estado Nilton Borgato segue filiado ao PSD. 

O presidente do partido em Mato Grosso, senador Carlos Fávaro, tem evitado tratar do assunto e se limitou a dizer que Borgato irá “se afastar” da sigla. 

O ex-secretário da gestão Mauro Mendes (União Brasil) era um dos pré-candidatos pelo PSD à deputado federal na eleição de outubro deste ano. Os planos foram por água abaixo após ele ser preso no âmbito da Operação Descobrimento, deflagrada pela Polícia Federal, em abril. 

Nos bastidores, comenta-se que a resistência dos líderes do PSD em adotar uma postura mais firme em relação ao ex-secretário estaria ocorrendo uma vez que ele seria um dos principais responsáveis em injetar recursos financeiros nas candidaturas do partido.

A postura de Fávaro tem causado estranheza, visto muitos esperavam uma expulsão imediata de Borgato, acusado também de organização criminosa. Em entrevista recente à imprensa, o senador disse apenas que a decisão do ex-secretário em se afastar do partido é “acertada”. 

Em tempo: Durante cumprimento dos mandados pela PF na casa de Borgato, foram apreendidos diversos documentos, dinheiro e diamantes. Dentre os itens, estavam intimações de cobrança de notas promissórias em nome do senador Carlos Fávaro. 

Além disso, a PF relatou terem sido localizadas no quarto do ex-secretário, tabelas com diversos nomes e que levavam a inscrição: “Lista pagamento da gráfica”, “Lista dos candidatos do PSD” e “Lista dos candidatos PP”. No termo da PF não há mais detalhes sobre essas listas.

Fonte: AnalisandoMT

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS