REDES SOCIAIS

19°C

Governo age contra CPI da Braskem, mas parte do Senado quer instalação nesta terça

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

O governo tem agido nos bastidores para barrar a instalação da CPI da Braskem, que pretende investigar a atuação da empresa petroquímica em Alagoas (leia mais abaixo). Porém, senadores defendem a instalação da CPI nesta terça-feira (12).

O autor da proposta de criação da CPI, senador Renan Calheiros (MDB-AL), é aliado do governo e adversário político de Arthur Lira (PP-AL), presidente da Câmara. Os dois são do estado de Alagoas.

Calheiros reuniu o número mínimo indicações para instalar a CPI, que é vista como ocasião para embates entre os dois parlamentares alagoanos.

window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

O governo, por sua vez, não quer indisposição com Lira, já que depende do presidente da Câmara para aprovação de projetos importantes.

O senador Jaques Wagner (PT-BA), líder do governo no Senado, tem tentado evitar instalação da CPI.

Lula se reúne com políticos alagoanos

Na manhã desta terça, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva convidou políticos alagoanos para conversar sobre os impactos da mina de sal-gema da Braskem que entrou em colapso em Maceió. E a CPI deve ser um dos assuntos abordados na ocasião.

Em seguida, um grupo de senadores se reunirá no gabinete do senador Omar Aziz (PSD-AM), que foi presidente da CPI da Covid, em 2021, para decidir como se dará a instalação da CPI da Braskem.

Nesta segunda-feira (11), parlamentares foram pegos de surpresa ao ver a indicação do senador Otto Alencar (PSD-BA) entre os titulares da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI). Alencar foi um dos nomes escolhidos pelo PSD, partido do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco.

A surpresa se deu porque o autor da proposta de criação da CPI, senador Renan Calheiros, esperava presidir a sessão de instalação da Comissão, inclusive, foi ele quem deu a previsão de instalação da Comissão para esta terça.

De acordo com o regimento interno, as sessões de instalação de Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs) são presididas pelo político mais velho presente na sessão.

Antes de Alencar figurar entre os indicados, Renan Calheiros, 68 anos, era o mais velho senador. Mas, como Otto tem 76 anos, ele será a pessoa responsável por conduzir a sessão que escolherá, em definitivo, o presidente, vice e relator da CPI.

Indicados

Nesta segunda-feira (11), 10 das 11 vagas de titulares da CPI foram preenchidas pelos partidos. Ao todo, são 18 vagas para compor a CPI.

Apenas a vaga destinada ao PDT, cujo líder, senador Cid Gomes (PDT-CE), ainda não definiu quem será o representante. Dentre os 18 representantes, apenas sete são do Nordeste. Todos os senadores de Alagoas integraram a CPI.

Veja os titulares já indicados:

  • Ranan Calheiros (MDB-AL)
  • Efraim Filho (União-PB)
  • Rodrigo Cunha (Podemos-AL)
  • Omar Aziz (PSD-AM)
  • Jorge Kajuru (PSB-GO)
  • Otto Alencar (PSD-BA)
  • Rogério Carvalho (PT-SE)
  • Wellington Fagundes (PL-MT)
  • Eduardo Gomes (PL-TO)
  • Dr. Hiran (PP-RR)

Suplentes indicados:

  • Fernando Farias (MDB-AL)
  • Jayme Campos (União-MT)
  • Soraya Thronicke (Podemos-MS)
  • Angelo Coronel (PSD-BA)
  • Fabiano Contarato (PT-ES)
  • Magno Malta (PL-ES)
  • Cleitinho (Republicanos-MG)

Caso Braskem

No último domingo (10), parte da mina 18 da Braskem, sob o trecho da lagoa Mundaú, que fica no bairro do Mutange, sofreu um rompimento.

A mina e todo o seu entorno estão desocupados desde o primeiro aviso de risco de colapso na região, divulgado no dia 29 de novembro.

A mina sob risco é uma das 35 que a Braskem mantinha na região para extração de sal-gema.

Em cinco anos, desde que surgiram as primeiras rachaduras em casas e nas ruas por causa da mineração realizada na região pela Braskem, mais de 14 mil imóveis tiveram que ser esvaziados em cinco bairros, afetando cerca de 60 mil pessoas.

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS