REDES SOCIAIS

17°C

Governo quer aprovar Magda Chambriard na Petrobras até o fim do mês; conselheiros temem ‘volta ao passado’

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email
window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

O governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) vai buscar acelerar o processo de seleção de Magda Chambriard para tentar aprovar seu nome como nova presidente da Petrobras até o final de maio ou início de junho.

Para isso, precisa garantir a aprovação dela pelo comitê de governança da estatal já nos próximos dias, para que sua indicação seja votada no Conselho de Administração.

Alguns conselheiros alegam que ela só poderia assumir a empresa depois de seu nome passar pela assembleia de acionistas, que aconteceria somente em meados do próximo mês.

Mas a área jurídica do governo tem outro entendimento: o de que o Conselho de Administração pode aprovar a sua indicação para dirigir a petroleira, com o nome sendo confirmado depois pela assembleia de acionistas, na qual a União tem maioria.

Em suas conversas com o presidente Lula e o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, Magda Chambriard prometeu implementar o plano de investimentos da empresa, o que inclui fazer investimentos defendidos pelo presidente, como em refinarias (Abreu e Lima e Comperj), explorar a margem equatorial e desenvolver a área de gás da empresa.

A demissão de Jean Paul Prates foi vista pelo mercado como mais um passo do governo para controlar a Petrobras e colocá-la a serviço dos interesses do Palácio do Planalto. O valor das ações da estatal despencou e o dólar subiu.

Conselheiros representantes dos acionistas privados temem uma volta ao passado, quando a empresa segurava os preços e, ao mesmo tempo, aumentava seus investimentos para atender os desejos do governo.

Essa estratégia se mostrou equivocada, com o faturamento da estatal caindo, seu endividamento subindo e a empresa passou a ter dificuldades de captar novos financiamentos. Esse cenário pode reduzir o valor das ações e o interesse do acionista privado em investir na estatal.

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS