REDES SOCIAIS

19°C

Governo venezuelano chama de “intervencionista” manifestação brasileira de preocupação sobre eleições no país

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

O Ministério das Relações Exteriores venezuelano chamou de “intervencionista” e com comentários “carregados de profundo desconhecimento e ignorância” a nota publicada nesta terça-feira (26) pelo Itamaraty manifestando preocupação com as eleições no país vizinho.

window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

A principal frente de oposição da Venezuela afirmou que não conseguiu inscrever a sua candidata, Corina Yoris, no site do Conselho Nacional Eleitoral, o órgão responsável pelas eleições no país. O prazo terminou às 23h59 de segunda-feira (25).

“[O Brasil] observa que a candidata indicada pela Plataforma Unitaria, força política de oposição, e sobre a qual não pairavam decisões judiciais, foi impedida de registrar-se, o que não é compatível com os acordos de Barbados. O impedimento não foi, até o momento, objeto de qualquer explicação oficial”, diz trecho do comunicado do Itamaraty.

“Ditada” pelos americanos

Na resposta à manifestação brasileira, a chancelaria venezuelana disse que o comunicado emitido pelo Itamaraty — “redigido por funcionários”, enfatiza o texto — parecia “ter sido ditado pelo Departamento de Estado dos Estados Unidos”.

“O governo venezuelano tem mantido uma conduta fiel aos princípios que regem a diplomacia e as relações de amizade com o Brasil”, diz o texto. “O governo bolivariano agradece as manifestaçaões de solidariedade do Presidente Lula da Silva que, de maneira direta e sem ambiguidades, condenou o bloqueio criminoso e as sanções impostas de maneira ilegal pelo governo dos Estados Unidos para causar dano ao nosso povo”, conclui o documento.

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS