REDES SOCIAIS

33°C

Imprensa internacional compara discurso de Bolsonaro em encontro com embaixadores ao de Trump

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Jornais internacionais repercutiram nesta terça-feira (19) o encontro de Jair Bolsonaro com embaixadores em Brasília na segunda-feira (18), no qual o presidente questionou o sistema eleitoral e repetiu suspeitas já desmentidas por órgãos oficiais sobre as eleições de 2018 e a segurança das urnas eletrônicas.

O jornal norte-americano “The New York Times” comparou o discurso de Bolsonaro no encontro com a estratégia adotada pelo ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump antes das eleições de 2020 do país, que ele perdeu.

“Como Trump, Bolsonaro parecia estar desacreditando a votação antes que ela acontecesse, em um suposto esforço para aumentar a confiabilidade e a transparência”, analisou o jornal.

A publicação relatou ainda que os diplomatas ficaram “abalados” com as declarações do presidente brasileiro, “uma possível prévia de sua estratégia para uma eleição que está a 75 dias de distância e que as pesquisas preveem que ele perderá em uma vitória esmagadora”.

O britânico “Guardian” destacou que as falas “infundadas” de Bolsonaro sobre a integridade das urnas causaram “ultraje” entre autoridades eleitorais e políticos experientes. O discurso, disse a publicação, aumentou temores de que o “líder populista da extrema direita” desacredite as próximas eleições presidenciais.

O “Guardian” destacou ainda que o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o ministro Edson Fachin, divulgou uma lista com 20 respostas a afirmações errôneas de Bolsonaro, e que Fachin chamou as falas de “negacionismo eleitoral inaceitável”.

O “Washington Post” também relatou que Bolsonaro “semeou dúvidas” que autoridades eleitorais já “desmascararam repetidamente” sobre o processo eleitoral brasileiro.

“Mais uma vez, o líder de extrema-direita não apresentou nenhuma evidência de suas alegações, o que gerou críticas de membros da autoridade eleitoral e analistas que temem que ele esteja preparando as bases para rejeitar os resultados das eleições”, disse a reportagem publicada no jornal norte-americano.

Leia também:

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS