REDES SOCIAIS

22°C

João Batista critica manifestação de servidores públicos na ALMT sobre RGA

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

image

O deputado estadual João Batista (PP) criticou nesta quarta-feira (8) as manifestações dos servidores que estavam na galeria da Assembleia Legislativa (ALMT), durante a votação do Projeto de Decreto Legislativo (PDL) 1/2022, sobre a Revisão Anual Geral (RGA). A proposta foi rejeitada nesta quarta, por 11 votos.

Segundo o parlamentar, se a categoria tivesse escutado o que os parlamentares tinham a dizer, o projeto teria sido aprovado já na última quarta-feira (1º), quando o líder do Governo e presidente da Comissão de Trabalho e Administração Pública, o deputado Dilmar Dal Bosco (União), pediu vista. João Batista também integra a Comissão.

“Semana passada, quando o Dilmar pediu vista, eu fui lá conversar com ele. Eu disse que era minha prerrogativa, que estava dentro do regimento e que o pessoal não estava deixando a gente fazer a explanação. Eu falei pra ele que ia pedir para os servidores ficarem mais tranquilos e ouvir o que o deputado tinha a dizer. Ao invés deles me ouvirem, eles começaram a me xingar, não compreenderam que eu estava tentando falar”, disse.

O parlamentar diz respeito ao momento em que pediu para que as pessoas presentes na sessão “acalmassem os ânimos”. Batista faz parte do grupo de deputados que fizeram um apelo a favor da medida e pediram para que Dilmar não adiasse a votação, em respeito aos servidores presentes.

O deputado ainda explicou que na semana anterior, o projeto possuía votos suficientes para ser aprovado. No entanto, o desrespeito, xingamentos e as vaias, “induziram” o líder do Governo a pedir vista do projeto.

“Eu até falei que tinha votos o suficiente para derrubar o parecer e apresentar o projeto hoje. Se fosse na semana passada, ele teria sido aprovado, mas a estratégia deles foram ficar xingando no plenário achando que ia mudar a opinião dos deputados. O resultado foi isso, perdeu”, explicou em entrevista.

Os servidores públicos de Mato Grosso estão lotando a galeria da ALMT há mais de duas semanas em busca do pagamento do Registro Geral Anual (RGA). O PDL 1/2022 susta os efeitos de um acórdão do Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT), que suspendeu o reajuste em 2018 devido aos problemas financeiros do Estado. Em manifestações dos parlamentares contrários ao PDL, diversos servidores vaiaram e xingaram os deputados.

Fonte: Isso É Notícia

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS