REDES SOCIAIS

23°C

Lei amplia ?teste do pezinho? em Mato Grosso para diversas doenças

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

image

Projeto de lei (PL628/2020) do deputado Dr. João (MDB), aprovado em segunda votação na sessão de quarta-feira (8), na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), por unanimidade, obriga que toda criança nascida nos hospitais e demais estabelecimentos de atenção à saúde da rede pública estadual terá direito ao teste de triagem neonatal. Em resumo, trata-se de uma ampliação do chamado ‘teste do pezinho’, o que pode ajudar a salvar milhares de vidas de recém-nascidos.

O deputado Dr. João, que é médico, explica que o teste será aplicado para tornar possível o diagnóstico precoce das seguintes patologias: fenilcetonúria e outras aminoacidopatias, acilcarnitinas e acidemias orgânicas; hipotireoidismo congênito; anemia falciforme e outras hemoglobinopatias; deficiência de biotinidase; fibrose cística; hiperplasia adrenal; galactosemia; deficiência de G6PD; toxoplasmose congênita; doenças lisossômicas e imunodeficiência combinada grave – SCID.

“Ações como esta ajudam a identificar um número crescente de doenças em que a intervenção precoce pode prevenir a mortalidade prematura, mobilidade e deficiências. O ‘Teste do Pezinho’ foi incorporado ao SUS em 1992 e o que pretendemos é ampliar o exame para outras doenças tratáveis possibilitando assim o seu diagnóstico e tratamento precoces”, destaca o deputado Dr. João.

Ainda conforme o médico e parlamentar, a realização da versão ampliada do teste do pezinho na rede pública de saúde trará um enorme benefício para a população. “A saúde das nossas crianças é um investimento sem dimensão de valor. É necessário realizar um verdadeiro e abrangente “check-up” do bebê, pois existem muitas doenças que, quando não incapacitam, levam à morte até aos dois anos de idade. Nós estamos em busca de salvar vidas”.

Conforme a lei, que segue para sanção do governador Mauro Mendes (União), o teste de triagem neonatal será sempre aplicado, independentemente das condições de saúde do recém-nascido e os resultados deverão ser comunicados ou encaminhados aos pais ou responsáveis pela criança, com a devida orientação, quando necessária.

 

Fonte: Isso É Notícia

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS