REDES SOCIAIS

30°C

Lula cria secretaria extraordinária para reconstrução do RS; Paulo Pimenta vai comandar órgão

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

O governo federal confirmou nesta quarta-feira (15) a criação da Secretaria Extraordinária da Presidência da República de Apoio à Reconstrução do Rio Grande do Sul.

O deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS) será o titular da secretaria, com status de ministro. Para isso, deixará o posto atual de ministro da Secretaria de Comunicação Social.

“O que foi anunciado hoje aqui é o mais importante plano de apoio a uma situação de catástrofe da história desse país. […] Aceito essa missão pela qual fui designado pelo presidente e podem ter certeza que vou me dedicar da melhor maneira possível. Não podemos falhar em nenhuma hipótese”, disse.

Pimenta tomou posse em uma cerimônia com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva para anunciar no estado, para anunciar medidas de auxílios às famílias atingidas pelas chuvas e cheias. É a terceira visita do presidente ao Rio Grande do Sul em duas semanas.

“‘O trabalho que nós temos pela frente é um desafio enorme para cada um, cada uma de nós. Desde o primeiro momento temos trabalhado, quero aqui publicamente dizer isso, em absoluta sintonia e parceria com o governo do estado”, disse Pimenta após assinar o termo de posse.

“O trabalho do governo federal é um trabalho complementar e suplementar ao trabalho do governo do estado e das prefeituras. O presidente Lula me pediu muito que tenha essa dedicação e disposição de colaborar com governo do estado, secretários, prefeituras de todos os municípios atingidos”, prosseguiu.

Segundo Pimenta, 75 municípios do Rio Grande do Sul já pediram ajuda humanitária ao governo federal e receberam auxílio imediato.

Os repasses, de acordo com ele, ultrapassam os R$ 100 milhões “para que os municípios tenham condições de garantir água, alimento, colchão, banheiro químico, pagar óleo diesel, tudo aquilo que for necessário”.

Pimenta é gaúcho e deputado federal do PT eleito pelo estado. Nos bastidores, é cotado como possível candidato ao governo gaúcho ou ao Senado em 2026.

O ministro já atuava como um dos principais coordenadores das ações federais na resposta à catástrofe, que matou pelo menos 149 pessoas, deixou mais de 615 mil desabrigados, alagou cidades, destruiu lavouras e bloqueou rodovias.

Caberá a Pimenta a missão de coordenar as ações federais no estado e o diálogo com os demais ministérios, governo gaúcho e prefeituras.

window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

Perfil

Paulo Pimenta é natural de Santa Maria (RS), na região central do estado. Filiado ao PT, o ministro é jornalista e técnico agrícola formado pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).

Pimenta foi eleito vereador pela sua cidade em 1988 e 1992. Em 1998, chegou à Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul.

Pimenta foi, também, vice-prefeito de Santa Maria de 2000 a 2002 ? ano em que se elegeu deputado federal pela primeira vez.

Na Câmara dos Deputados, Pimenta integrou a tropa de choque de Lula e de Dilma Rousseff, em especial durante o processo de impeachment da então presidente.

Pimenta também foi crítico ferrenho da Operação Lava Jato e dos governos Michel Temer e Jair Bolsonaro. Ele também participou das mobilizações pela liberdade de Lula, que ficou 580 dias preso.

Em 2022, Pimenta foi eleito para o quinto mandato consecutivo como deputado federal. Ele participou da equipe de transição de governo e foi escolhido por Lula para ser ministro da Secom.

A Secom é responsável, entre outras funções, por formular e implementar a política de comunicação e de divulgação das ações do governo federal, além de cuidar do relacionamento com a imprensa e de contratos de publicidade.

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS