REDES SOCIAIS

19°C

Lula deve priorizar conversas com Lira e Pacheco, diz líder do governo no Congresso

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

O líder do governo no Congresso, senador Randolfe Rodrigues (sem partido-AP), disse nesta segunda-feira (22) que o presidente Lula deve priorizar o diálogo com o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), e o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, que deve ocorrer ainda nesta semana. O objetivo é tratar do avanço de pautas-bomba e outros temas que estão gerando divergência entre Executivo e Legislativo.

Os encontros farão parte de um ?roteiro de conversas? que Lula fará nos próximos dias, e deve envolver também os líderes e vice-líderes do governo.

?Eu creio que o presidente deverá, nas próximas horas, ainda nessa semana, ter inicialmente a conversa com os dois presidentes das casas e nós vamos construir uma agenda com os demais líderes sobre os temas que estão em votação no Congresso Nacional, em específico sobre a PEC do Quinquênio?, diz Randolfe.

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) citada por Randolfe concede um aumento salarial de 5% a cada cinco anos de serviço para membros do Judiciário e do Ministério Público e foi aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado na última quarta-feira (17).

Para Randolfe, pautar a PEC agora é ?inoportuno?.

?Nós temos nesse momento um conjunto de servidores públicos de todas as categorias que estão reivindicando realinhamento salarial e nós não estamos conseguindo avançar no debate. Não me parece justo da parte do Congresso aprovar um reajuste determinadas categorias, que constituem a elite do funcionalismo público, que pode representar para essas categorias um ganho de 35% a 40%?, fala Randolfe.

Segundo o senador, na reunião realizada na última sexta-feira com líderes do governo, Lula ?se demonstrou muito disposto a conversar? com Lira e Pacheco, além dos líderes. O presidente, segundo o senador, vai pedir uma “arrumação de casa” na base do governo.

LEIA MAIS:

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS