REDES SOCIAIS

17°C

Lula tem reunião com sociedade civil, movimentos sociais e representante de sindicato dos petroleiros neste sábado

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem reunião marcada para este sábado (6) com integrantes da sociedade civil, movimentos sociais e um representante da Federação Única dos Petroleiros (FUP).

A reunião será na Granja do Torto, uma das residências oficias da Presidência, onde Lula costumava dar festas nos dois primeiros mandatos.

O Palácio do Planalto não informou quais temas serão tratados na reunião. Apesar da presença do representante do sindicato dos petroleiros e do tumulto político envolvendo a Petrobras, a situação da estatal não deve ser um assunto do encontro, de acordo com interlocutores de Lula.

No encontro, que deve ser uma espécie de confraternização, o presidente Lula vai ouvir a percepção das centrais sindicais e de representantes da sociedade civil sobre o desempenho do governo.

Aliados do presidente acreditam que os resultados positivos das políticas implementadas pelo governo no primeiro ano de gestão começarão a surtir efeito ainda no primeiro semestre deste ano.

window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

Crise na Petrobras

É incerta a permanência do presidente da Petrobras, Jean Paul Prates, no cargo.

Ele passa por um processo de fritura junto ao Palácio do Planalto, patrocinada pelos ministros de Minas e Energia, Alexandre Silveira, e da Casa Civil, Rui Costa.

As rusgas se intensificaram depois que Prates se absteve da votação do Conselho de Administração da Petrobras que determinou a retenção dos R$ 43,9 bilhões que seriam distribuídos aos acionistas como dividendos extraordinários.

Nesta sexta-feira (5), o Conselho de Administração da Petrobras se reuniu novamente para discutir a saúde financeira da companhia e abrir caminho para a distribuição dos dividendos retidos em março.

Mas Prates não participou da reunião. Nos bastidores do governo, já é ventilada uma eventual substituição de Prates.

Quando votaram pelo represamento dos dividendos, os indicados do governo no conselho da Petrobras justificaram a decisão por uma necessidade manter o dinheiro em caixa para conseguir condições melhores de financiamento para os projetos de investimento, reduzindo o nível de risco.

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS