REDES SOCIAIS

28°C

Lula vai ao RS após fortes chuvas no estado;10 pessoas morreram e 21 estão desaparecidas

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email
window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que visitará o Rio Grande do Sul nesta quinta-feira (2) após as fortes chuvas que atingiram o estado nos últimos dias.

Subiu para 10 o número de mortos em decorrência dos temporais que atingem o estado desde segunda-feira (29). Mais de 100 cidades registraram transtornos, como inundações, quedas de barreiras e deslizamentos de terra.

“Hoje conversei novamente com o governador @EduardoLeite_ , do Rio Grande do Sul, para saber da situação das fortes chuvas no estado. Amanhã vou pessoalmente ao Sul para verificarmos a situação e o trabalho conjunto dos ministros com o governo do estado”, afirmou o presidente pelas redes sociais.

Conforme atualização da Defesa Civil no fim da manhã desta quarta (1º), 21 pessoas estão desaparecidas. As regiões mais atingidas são: Metropolitana de Porto Alegre, Vales, Central, Serra e Sul. O último boletim da Defesa Civil dá conta de 4,4 mil desalojados e desabrigados no estado.

Ao todo, foram registrados problemas em 107 municípios, afetando 19.110 pessoas. A previsão do tempo alerta para risco de chuva por, pelo menos, mais 36 horas no RS.

Comitiva

Lula disse que oito helicópteros da Força Aérea Brasileira estão preparados para irem ao Rio Grande do Sul e aguardam condições meteorológicas para voarem.

“Para que a gente possa ajudar de forma efetiva a diminuir o sofrimento desse povo. […] Que a chuva diminua, porque eu estou sabendo que vai ter mais 340mm de chuva”, disse Lula.

Devem acompanhar o presidente, além de Paulo Pimenta, da Secretaria de Comunicação, que é gaúcho, os ministros Rui Costa, da Casa Civil, Waldez Góes, do Desenvolvimento Regional e Integração, Renan Filho, dos Transportes, e o comandante do Exército, general Tomás Paiva.

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), comparou a situação no estado a uma guerra e pediu a participação efetiva das Forças Armadas.

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS