REDES SOCIAIS

23°C

Mendes descarta Cidinho em reeleição: ?caso entre na disputa, meu vice é o Pivetta?

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

image

O governador Mauro Mendes (UB) descartou qualquer possibilidade do seu correligionário e ex-senador, Cidinho Santos (UB), ser vice em sua eventual disputa à reeleição. Apesar de ainda não ter confirmado a candidatura, o chefe do executivo garantiu que caso entre disputa eleitoral, seu vice continuará sendo Otaviano Pivetta (Republicanos).

Conforme Mendes, a escolha não seria viável somente em dois cenários: caso ele não entre na disputa ou se Pivetta recusar o convite.

“Eu já disse diversas vezes que caso eu seja candidato, o meu vice seria o Pivetta, não será ele só acontecer duas situações: a primeira, caso eu não seja candidato; a segunda, caso ele não queira. Até hoje não sentei com ele para conversar, mas nós nos damos muito bem e somos irmanados pelo objetivo de fazer a coisa correta”, disse à imprensa nesta quarta-feira (1).

Além disso, Mauro garantiu que as articulações com Pivetta só iniciarão de fato após ele decidir sobre sua situação política. Oficialmente, o governador nega que seja pré-candidato à reeleição, mas se articula nos bastidores para disputar o pleito.

“Tudo tem seu dia e sua hora, em um momento nós iremos sentar e ter mais uma conversa e definir isso. Mas primeiro a decisão tem que ser a minha de ser ou não candidato, eu já disse que estou em um processo das alternativas e das circunstancias para que isso possa acontecer, definindo isso positivamente só depois disso iremos discutir sobre vice, quem estará conosco no Senado, as coligações, a prioridade ainda têm sido na gestão atual”, explicou.

Pivetta estava sem partido desde outubro de 2020, quando rompeu com o PDT após divergências políticas. O vice-governador se filiou ao Republicanos no final de março, próximo ao fim do prazo da janela partidária.

Em novembro do ano passado, Pivetta anunciou que não disputaria nenhum cargo eletivo em 2022 e, portanto, não continuaria com Mendes em uma possível reeleição. Entretanto, a filiação pode mudar o cenário.

Fonte: Isso É Notícia

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS