REDES SOCIAIS

26°C

Mesmo com sinalização de Bolsonaro, aliados veem ainda pequena a chance de Tereza Cristina ser vice

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Mesmo com a fala surpreendente do presidente Jair Bolsonaro de voltar a cogitar a ex-ministra Tereza Cristina (Agricultura) como opção para ser a vice em sua chapa pela reeleição, integrantes da ala política do governo ainda estão cautelosos.

?A chance é pequena ainda, mas no início da semana era zero. Já tem uma pequena chance, porque isso partiu do próprio presidente. Foi ele quem aventou essa possibilidade. Na cabeça de todos da campanha, [o nome do general Braga Netto] já era uma situação resolvida?, ressaltou ao blog um interlocutor de Bolsonaro.

A percepção entre integrantes da campanha é a de que, mesmo com as declarações feitas nesta terça-feira (14), Bolsonaro prefere o general Braga Netto, visto como uma espécie de seguro contra um eventual pedido de impeachment.

Para a ala política do governo, a única coisa que poderia fazer o presidente mudar seria o pragmatismo eleitoral, já que Tereza é vista como um trunfo, inclusive para diminuir a rejeição de Bolsonaro junto ao eleitorado feminino.

?Entre todo o quadro político, Tereza Cristina é a primeira opção de nove em cada dez aliados. Seria muito bom para a campanha?, afirmou esse interlocutor de Bolsonaro.

Em tempo: em março deste ano, foi o próprio Bolsonaro quem descartou a então ministra da Agricultura como vice, quando lançou o nome dela para disputar o Senado pelo estado de Mato Grosso do Sul.

Como revelou o blog na ocasião, o anúncio aconteceu em um evento da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA).


window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

Naquela ocasião, em discurso para senadores e deputados, Bolsonaro disse que no próximo ano teria o ministro Tarcísio de Freitas como governador de São Paulo. Na sequência, ao lado de Tereza Cristina, engatou: ?E, no próximo ano, não terei uma deputada-ministra, mas sim uma senadora-ministra da Agricultura?.

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS