REDES SOCIAIS

29°C

Ministro da Justiça discute com representante britânica buscas a desaparecidos na Amazônia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

O ministro da Justiça, Anderson Torres, se reuniu nos Estados Unidos com a chefe do Departamento de África, América Latina e Caribe do Ministério das Relações Exteriores britânico, Vicky Ford, para tratar das buscas ao jornalista britânico Dom Phillips e do indigenista Bruno Pereira, desaparecidos desde domingo (5) no Vale do Javari, no Amazonas.

Torres integra a comitiva do presidente Jair Bolsonaro em Los Angeles durante a Cúpula das Américas. O ministro conversou com Ford na quinta-feira (9) sobre as buscas. A ministra é responsável no governo do Reino Unido pelas relações com países da África, América Latina e Caribe.

Em uma rede social, Torres declarou que foi uma ?oportunidade única? para mostrar os esforços do governo brasileiro.

Após a reunião, o ministro disse à Globo News que o objetivo é ?esgotar todas as possiblidades? para localizar o jornalista e o indigenista.

?Encontro bastante importante. O Brasil está realizando tudo o que pode ali naquela região para buscar essas pessoas. Nosso objetivo é esgotar todas as possibilidades. Vamos até o fim usando todos os esforços possíveis para realmente localizar essas pessoas?, afirmou.

Também em uma rede social, Ford afirmou que o Reino Unido está ?pronto? para dar suporte à operação de busca realizada pelas autoridades brasileiras, que têm sido criticadas por indígenas, políticos e instituições.

Nesta sexta-feira (10), o Alto Comissário da Organização das Nações Unidas (ONU) para os Direitos Humanos pediu ao governo brasileiro que “redobre” os recursos e esforços disponibilizados nas operações.

A porta-voz da agência da ONU, Ravina Shamdasani, criticou a demora do governo brasileiro para iniciar as buscas e, em resposta aos comentários do presidente Jair Bolsonaro, de que a dupla desaparecida fazia uma “aventura”, afirmou que é obrigação do Estado proteger jornalistas e profissionais que trabalham na defesa dos Direitos Humanos.

“A resposta (do governo ao desaparecimento) foi extremamente lenta, infelizmente. Achamos bom que agora, após uma medida judicial, as autoridades tenham empregado mais meios para as buscas”, declarou a porta-voz.

VÍDEOS: desaparecidos no Amazonas

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS