REDES SOCIAIS

19°C

Ministro mato-grossense pode estar entre vítimas de suposta espionagem ilegal feita pela Abin

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

@media only screen and (max-width: 767px) {
.img-wrapper {
margin-bottom: 5px;
}

.content-title {
margin-bottom: 10px;
}
}

gilmar mendes

 

A Polícia Federal está investigando dentro da “Operação Vigilância Aproximada” o suposto uso criminoso do aparelho estatal da Abin (Agência Brasileira de Inteligência) para monitorar e investigar governadores e até integrantes do Supremo Tribunal Federal (STF). Entre as possíveis vítimas está o ministro mato-grossense Gilmar Mendes.

De acordo com informações, a suspeita é que houve uso de ferramentas de geolocalização em dispositivos móveis (celulares e tablets, por exemplo) sem autorização judicial e sem o conhecimento do próprio monitorado.

A Abin teria investido no monitoramento ilegal dos ministros Gilmar Mendes e Alexandre de Moraes, do ex-presidente da Câmara Rodrigo Maia e do ex-governador Camilo Santana, do Ceará, hoje ministro da Educação de Lula, entre outros.

As investigações apontam que o responsável pela ordem do monitoramento cai sob o chefe do órgão durante o Governo Jair Bolsonaro, Alexandre Ramagem, que atualmente está como deputado federal pelo PL.

Ramagem é um dos alvos. Há buscas contra ele no gabinete do parlamentar na Câmara dos Deputados e no apartamento funcional da Câmara hoje ocupado por ele.

A suspeita de espionagem foi levantada quando, durante um jantar com Gilmar Mendes na residência oficial da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia ao falar pelo telefone com o ministro Luís Roberto Barroso, percebeu que “bolsonaristas” vazaram nas redes sociais informações dizendo que Gilmar estava na residência oficial e tramavam contra o governo Bolsonaro.

Fonte: Isso É Notícia

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS