REDES SOCIAIS

18°C

Mulher morre por eutanásia no Peru, no primeiro caso da história do país

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

A psicóloga peruana Ana Estrada, que sofria de uma doença degenerativa desde os 12 anos, morreu por eutanásia no domingo, informou sua advogada nesta segunda-feira (22).

Ela recebeu autorização da Suprema Corte do Peru em 2022 para realizar o procedimento e se tornou a primeira pessoa no país a receber eutanásia. (Leia mais abaixo)

“No domingo, 21 de abril de 2024, Ana Estrada exerceu o seu direito fundamental a uma morte digna e acedeu ao seu procedimento médico de eutanásia. Ana morreu nos seus próprios termos, conforme a sua ideia de dignidade e em pleno controle da sua autonomia até o final”, disse sua advogada, Josefina Gayoso, em comunicado.

Segundo Gayoso, a eutanásia foi realizada de acordo com o “Plano e Protocolo de Morte Digna” aplicável a Ana, aprovado pelo Seguro Social de Saúde do Estado peruano.

Não foi informado o método utilizado para a eutanásia de Ana.

Ana sofria desde os 12 anos de polimiosite, uma doença incurável e degenerativa que provoca fraqueza muscular progressiva. Ela usava cadeira de rodas desde os 20 anos por conta da enfermidade, segundo a imprensa peruana.

“Ana tornou-se o rosto dessa causa justa que visa defender a dignidade do princípio ao fim e a liberdade de decidir sobre nossas vidas e nossos corpos. (…) O caso de Ana permitiu que a Justiça peruana reconhecesse, pela primeira vez em sua história, que todos temos o direito de morrer com dignidade”, disse Gayoso no comunicado.

Ana Estrada pediu para pôr um fim à própria vida por eutanásia em fevereiro de 2021. No comunicado, sua advogada disse que Ana “partiu agradecida a todas as pessoas que ecoaram a sua voz”.

{
“data”: {“app”:{“image”:”https://s2-g1.glbimg.com/ARwFB_J4APxnnfUJyA1Ncwj2xX8=/540×304/middle/smart/https://i.s3.glbimg.com/v1/AUTH_59edd422c0c84a879bd37670ae4f538a/internal_photos/bs/2024/D/h/jpA1WgRgO59Uh27Xo71w/a389a890-cc28-11ee-a734-b5c4e6ed1081.jpg”},”title”:”O casal que morreu de mu00e3os dadas em eutanu00e1sia dupla”,”type”:”editorial”,”url”:”https://g1.globo.com/mundo/noticia/2024/02/19/o-casal-que-morreu-de-maos-dadas-em-eutanasia-dupla.ghtml”,”web”:{“desktop”:”https://s2-g1.glbimg.com/gJhn4kG1OmW6w_Ev5JqxCpOraEE=/320×200/middle/smart/https://i.s3.glbimg.com/v1/AUTH_59edd422c0c84a879bd37670ae4f538a/internal_photos/bs/2024/D/h/jpA1WgRgO59Uh27Xo71w/a389a890-cc28-11ee-a734-b5c4e6ed1081.jpg”,”image”:”https://s2-g1.glbimg.com/ARwFB_J4APxnnfUJyA1Ncwj2xX8=/540×304/middle/smart/https://i.s3.glbimg.com/v1/AUTH_59edd422c0c84a879bd37670ae4f538a/internal_photos/bs/2024/D/h/jpA1WgRgO59Uh27Xo71w/a389a890-cc28-11ee-a734-b5c4e6ed1081.jpg”,”mobileSizes”:{“L”:”https://s2-g1.glbimg.com/oQmq0l_agjmVrJ85uLwXH8oF7Ao=/414×468/middle/smart/https://i.s3.glbimg.com/v1/AUTH_59edd422c0c84a879bd37670ae4f538a/internal_photos/bs/2024/D/h/jpA1WgRgO59Uh27Xo71w/a389a890-cc28-11ee-a734-b5c4e6ed1081.jpg”,”LL”:”https://s2-g1.glbimg.com/EdA7Dn4c0GyXz-eup8MO7ycyI_A=/480×543/middle/smart/https://i.s3.glbimg.com/v1/AUTH_59edd422c0c84a879bd37670ae4f538a/internal_photos/bs/2024/D/h/jpA1WgRgO59Uh27Xo71w/a389a890-cc28-11ee-a734-b5c4e6ed1081.jpg”,”M”:”https://s2-g1.glbimg.com/vKmCbGxsAnoT9BM6BoXt73lxdv0=/375×424/middle/smart/https://i.s3.glbimg.com/v1/AUTH_59edd422c0c84a879bd37670ae4f538a/internal_photos/bs/2024/D/h/jpA1WgRgO59Uh27Xo71w/a389a890-cc28-11ee-a734-b5c4e6ed1081.jpg”,”S”:”https://s2-g1.glbimg.com/bGAdWSffllk0FYO_-58mCrXrp6w=/320×362/middle/smart/https://i.s3.glbimg.com/v1/AUTH_59edd422c0c84a879bd37670ae4f538a/internal_photos/bs/2024/D/h/jpA1WgRgO59Uh27Xo71w/a389a890-cc28-11ee-a734-b5c4e6ed1081.jpg”}}}
}

LEIA TAMBÉM:

Autorização pelo Supremo Tribunal peruano

Em julho de 2022, a Suprema Corte de Justiça do Peru reconheceu o direito de Ana Estrada de morrer.

A sentença foi aprovada por quatro votos, e dois magistrados foram contrários. É a primeira vez que a maior instância da Justiça do Peru permite uma eutanásia.

A sentença da Justiça diz que se deve “entender por eutanásia a ação de um médico de fornecer de forma direta (oral ou intravenosa) um fármaco destinado a pôr fim à sua vida”.

A Justiça peruana deu ordem ao Ministério da Saúde para respeitar a decisão dela.

Em janeiro, Ana escolheu o médico para realizar sua eutanásia após a resolução das observações ao protocolo pelo seguro social.

“Isto é para mim, exatamente como eu planejei desde o primeiro dia (…). Eu sabia que isso era uma garantia para minha vida. Eu precisava deste sinal verde para viver plenamente nesta última etapa, sem dor, sem angústias sobre o que vai acontecer”, disse Ana Estrada na época.

VEJA TAMBÉM:

window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS