REDES SOCIAIS

23°C

Natasha diz que coligação com PT ?está em construção? e defende diálogo

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

image

A médica Natasha Slhessarenko (PSB) afirmou nesta quarta-feira (08), em entrevista à imprensa na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), que a coligação com o Partido dos Trabalhadores (PT) em prol da sua pré-candidatura ao Senado “está em construção”. Contudo, Natasha defendeu um posicionamento partidário em relação ao PSB, que integra a base do governador Mauro Mendes (UB). 

Caso a aliança com o PT seja concretizada, Natasha pode ser candidata da federação do partido, ao lado de siglas como o Partido Verde (PV) e o Partido Comunista do Brasil (PCdoB), no palanque do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva na disputa ao Palácio do Planalto.

Por outro lado, a coligação deixa o PSB em um posicionamento delicado, já que o partido integra a base do governador. Apesar de não anunciar publicamente, Mendes deve estar no mesmo palanque do senador Wellington Fagundes (PL), e já conseguiu apoio do presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), à sua reeleição ao Palácio Paiaguás.

“Na verdade, aqui o PSB faz parte da base do governador Mauro Mendes. Eu sou partidária, eu preciso cumprir o que o meu partido está fazendo. Fazer parte dessa coligação majoritária junto com a coligação PV, PT e PCdoB para mim também é algo extremamente interessante. Isso tudo ainda está em construção, a gente só vai ter uma clareza maior disso nas convenções. Mas estamos tentando construir, fazer o melhor em termos de projeto político para essa pré-candidatura ao Senado”, enfatizou.

Por outro lado, Natasha pode enfrentar um impasse dentro da federação, já que o PT anunciou a pré-candidatura da professora e ex-vereadora por Cuiabá Enelinda Scalla. A médica defendeu o diálogo junto à federação.

Pelo fato de Wellington, o atual deputado Neri Geller (PP) e o ex-presidente da Associação dos Produtores de Soja (Aprosoja-Brasil), Antônio Galvan, se posicionarem a favor de Bolsonaro, a médica afirmou que uma das possibilidades seria conquistar vantagem junto ao PT e do ex-presidente Lula. 

“Isso é uma arquitetura, um desenho do atual tabuleiro que está se mostrando desse jeito. E nós estamos conversando para vir a ser a candidata da coligação. O PT já lançou a professora Enelinda Scalla, então tudo isso tem que passar por conversas, por negociações, não negociatas, conversas e entendimentos”, pontuou.

Fonte: Isso É Notícia

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS