REDES SOCIAIS

30°C

Neri comemora vitória no TSE: “Justiça foi feita, provei minha inocência”

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

@media only screen and (max-width: 767px) {
.img-wrapper {
margin-bottom: 5px;
}

.content-title {
margin-bottom: 10px;
}
}

Neri Geller

 

O ex-deputado federal Neri Geller (PP) comemorou nas suas redes sociais a vitória no julgamento do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que formou maioria para acolher o recurso do ex-parlamentar contra a sua cassação, que o tornou inelegível. Neri afirmou que o saldo positivo do julgamento prova mais uma vez sua inocência, e agora mais do que nunca continuará com a cabeça erguida. 

Neri Geller afirmou que a ação movida contra ele pouco antes do processo eleitoral do ano passado, qual participava como candidato ao Senado, lhe trouxe prejuízos “incalculáveis”, principalmente a sua imagem e inocência, já que ele foi acusado de movimentar ter operado um esquema de triangulaçao monetária. 

“Hoje, justiça foi feita. Não consigo mensurar o tamanho do estrago causado à mim, à minha fam~ilia, aos meus eleitores, à minha trajetória política. Eu saio da mesma forma que entrei: de cabeça erguida porque sempre falei e, provei, a minha inocência. Com a verdade reestabelecida continuo fazendo o que eu faço de melhor e o que tem me movido até aqui: trabalhar pelo nosso estado e pelo Brasil.  Obrigado a todos que nunca duvidaram da minha palavra. E aos que duvidaram: não foi dessa vez”, escreveu o parlamentar nas redes sociais.

O JULGAMENTO

Por um placar de 6 a 1, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), reverteu a cassação do ex-deputado federal Neri Geller (PP). Com isso, o ex parlamentar terá de volta seus direitos políticos e poderá retornar às disputas eleitorais. Em 2022, o político tentou candidatar-se ao Senado, mas a ação judicial do TSE retirou seu nome. 

Poucos dias antes das eleições do ano passado Neri foi condenado por supostamente ter operado um esquema de triangulação monetária. Mas, com a nova decisão os ministros entenderam que não tratava dessa conduta e poderia permanecer na política por não ter cometido crime eleitoral.

Neri foi acusado de ter feito doações ilegais com a conta do filho, Marcelo Geller.

“A prevalecer as conclusões lançadas no v. acórdão embargado, no sentido de que o ilícito imputado ao embargante estaria correlacionado com os fatos narrados na petição inicial, em razão da existência de requerimento de mitigação do sigilo bancário, se estará abrindo, data maxima venia, uma larga avenida para ajuizamento de ações sem embasamento fático específico qualquer, na expectativa da chegada de produção probatória para reajustamento (informal) da causa de pedir, com evidente violação ao devido processo legal”, escreveu o ministro relator, Raul Araújo

Fonte: Isso É Notícia

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS