REDES SOCIAIS

18°C

No penúltimo mês de mandato, Bolsonaro nomeia aliados para Comissão de Ética Pública

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Faltando menos de dois meses para terminar o mandato, o presidente Jair Bolsonaro (PL) emplacou mais dois aliados em cargos federais com mandatos longos. Desta vez, nomeou integrantes para a Comissão de Ética Pública, com mandato de três anos.

Os postos serão ocupados por Célio Faria Júnior, atual ministro-chefe da Secretaria de Governo, e por João Henrique Nascimento de Freitas, assessor especial da Presidência.

As nomeações foram publicadas no Diário Oficial da União da última sexta (18). Na publicação, o presidente também exonerou Roberta Muniz Codignoto do colegiado.

O colegiado é composto por sete brasileiros, escolhidos pelo presidente da República, que devem atender aos requisitos de ?idoneidade moral, reputação ilibada e notória experiência em administração pública? (veja mais abaixo).

Os dois nomes escolhidos nesta sexta para integrar o colegiado são “aliados de primeira hora” de Bolsonaro. Antes da Secretaria de Governo, Célio Faria Junior também ocupou, desde a transição em 2018, postos-chave como chefe da assessoria especial e do gabinete pessoal de Bolsonaro.

LEIA TAMBÉM

Comissão de Ética Pública

O colegiado foi criado em 1999 no governo do presidente Fernando Henrique Cardoso. Entre outras atribuições, a comissão é uma instância consultiva do presidente da República e dos ministros de Estado em matéria de ética pública.

Atualmente, além dos dois novos nomeados, integram a comissão Edson Leonardo Dalescio Sá Teles, Antonio Carlos Vasconcellos Nóbrega, Francisco Bruno Neto, Edvaldo Nilo de Almeida e Fábio Prieto de Souza.

Os membros do colegiado não são remunerados.


{
“controls”: [
{
“name”: “share”,
“backgroundImageUrl”: “data:image/svg+xml;charset=utf-8,”
}
]
}
Webstories

VÍDEOS: tudo sobre política

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS