REDES SOCIAIS

35°C

Novo depoimento de Bolsonaro à PF só deve ocorrer após análise de material apreendido com Do Val

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

A Polícia Federal só vai agendar o novo depoimento do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), determinado pelo ministro Alexandre de Moraes, depois de analisar todo material apreendido na operação contra o senador Marcos do Val (Podemos-ES), investigado pela suspeita de participar da elaboração de atos golpistas.

Novas diligências, inclusive, ainda podem ser realizadas. Os investigadores avaliam que é preciso analisar e avançar nas investigações para ter elementos mais fortes para questionar o ex-presidente. Será o quinto depoimento dele à PF desde que deixou a Presidência da República.

O depoimento de Bolsonaro foi determinado porque ele recebeu o senador Marcos do Val no ano passado, no Palácio da Alvorada, junto com o ex-deputado Daniel Silveira.

No encontro, o senador e o ex-deputado discutiram com o ex-presidente um plano para gravar o ministro Alexandre de Moraes e tentar desacreditá-lo, dentro de uma estratégia para tentar afastá-lo do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e colocar em dúvida as eleições do ano passado.

LEIA TAMBÉM:

Nesta terça-feira (27), o TSE retoma o julgamento do ex-presidente Jair Bolsonaro, acusado de abuso de poder político e econômico na eleição presidencial de 2022.

A expectativa é que na sessão seja pronunciado apenas o voto do ministro Benedito Gonçalves, que será longo, mas até agora a avaliação é que não há risco de um ministro ? Nunes Marques ou Raul Araújo ? pedir vista e adiar a conclusão do julgamento.

O TSE trabalha com o cenário de encerrar o julgamento na quinta-feira (29), com o voto dos demais seis ministros. Enquanto isso, Bolsonaro, já avisado de que a tendência é de uma condenação, segue explorando o papel de vítima de uma perseguição política.

Por isso, tem mantido sua agenda e se pronunciado sobre os rumos do julgamento, dizendo que é errado avaliar que ele atentou contra a democracia, apesar das provas neste sentido que o próprio ex-presidente produziu durante seu mandato.

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS