REDES SOCIAIS

22°C

Passagem bíblica que batizou operação contra militares ligados a Bolsonaro também nomeou operação do caso Flordelis; entenda

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

A operação da Polícia Federal contra militares ligados ao ex-presidente Jair Bolsonaro foi batizada com uma passagem bíblica que também nomeou, em 2020, uma operação da Polícia Civil do Rio de Janeiro que prendeu pessoas pelo envolvimento na morte do pastor Anderson do Carmo e que apontou a viúva dele, a então deputada Flordelis (PSD-RJ), como mandante do crime.

A operação da PF desta sexta-feira (11), sobre uma suposta tentativa, capitaneada por militares ligados a Bolsonaro de vender ilegalmente presentes dados ao governo por delegações estrangeiras., foi batizada “Lucas 12:2” em alusão ao versículo da Bíblia que diz: “Não há nada escondido que não venha a ser descoberto, ou oculto que não venha a ser conhecido”.

Em 2020, a operação da Polícia Civil foi batizada de “Lucas 12”, em referência a toda a passagem. No livro, o apóstolo lembra uma fala de Jesus a uma multidão: “Tenham cuidado com o fermento dos fariseus, que é a hipocrisia. Não há nada escondido que não venha a ser descoberto, ou oculto que não venha a ser conhecido“, disse Jesus, segundo o livro.

O livro de Lucas tem 24 capítulos. O 12, que batizou as duas operações, tem 59 versículos.

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS