REDES SOCIAIS

14°C

PF pede que Supremo defina prisão preventiva de homem detido em MG por ameaçar Lula e ministros

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

A Polícia Federal pediu que o Supremo Tribunal Federal (STF) determine a prisão preventiva de Ivan Rejane Fonte Boa Pinto, detido em Belo Horizonte no último dia 22 por ameaças ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e a ministros do STF.

Até este sábado (30), Ivan Rejane cumpria prisão temporária ? modalidade que tem prazo legal de cinco dias, prorrogáveis por mais cinco. A prisão preventiva, se for decretada, tem prazo indeterminado.

O pedido assinado pelo delegado da PF Fábio Alvarez Shor será analisado pelo ministro do STF Alexandre de Moraes, relator do inquérito que apura disseminação de notícias falsas e ameaças contra autoridades. A prisão de Ivan Rejane, na semana passada, também foi autorizada por Moraes. Veja mais detalhes sobre o caso no vídeo abaixo:


window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

O que diz o pedido

No documento protocolado nesta sexta-feira (29), a PF afirma que a conduta de Ivan Rejane está “inserida em um contexto mais abrangente de acirramento dos ânimos, do estímulo ao enfrentamento a oponentes políticos e de tentativas de enfraquecimento do Poder Judiciário, o qual inclusive é incumbido da realização do pleito eleitoral que se avizinha”.

Segundo o delegado que conduz as investigações, uma eventual soltura do extremista teria impactos na ordem pública, “tanto pelo potencial prosseguimento na prática delitiva (como já demonstrado), quanto pela recepção de uma mensagem equivocada de que as condutas praticadas por Ivan Rejane são toleradas pelo Estado”.

O delegado da PF diz, ainda, que medidas cautelares alternativas “não se mostrariam eficazes, neste momento” para garantir a continuidade das investigações e cessar o risco aos políticos e autoridades ameaçados pelo homem.

Em um dos vídeos que motivaram a prisão, Ivan Rejane disse que Lula deveria andar com segurança porque ele iria “caçar” o ex-presidente, a deputada Gleisi Hoffmann (PT-PR) e o deputado Marcelo Freixo (PSB-RJ).

Na mesma gravação, este homem também diz que vai “caçar principalmente” ministros do STF e cita os nomes de Alexandre de Moraes, Luís Roberto Barroso, Luiz Fux, Luiz Edson Fachin, Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes, Cármen Lúcia e Rosa Weber.

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS