REDES SOCIAIS

35°C

PL e PT elegem maior número de deputados nas Assembleias Legislativas dos estados e do DF

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

O Partido Liberal (PL), atual legenda do presidente Jair Bolsonaro e candidato à reeleição, elegeu no domingo (2) a maior bancada para as Assembleias Legislativas dos estados e para a Câmara Legislativa do Distrito Federal. O número triplicou: passou de 43, em 2018, para 129 nas eleições de 2022 ? corresponde a 12,18% do total de 1.059 parlamentares.

Em 2018, o até então PR (a mudança de nome ocorreu em 2019) ocupava o 10º lugar entre os partidos. Agora, o PL ocupa o primeiro lugar.

O PL conseguiu maioria nas assembleias de 4 estados (Espírito Santo, Rio de Janeiro, Santa Catarina, São Paulo) e na Câmara Legislativa do Distrito Federal. Já no Ceará, Minas Gerais, Rio Grande do Norte e Santa Catarina, o partido teve o deputado mais votado.

LEIA TAMBÉM:


window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

Na sequência, a maior bancada ficou para o Partido dos Trabalhadores (PT) com 118 deputados estaduais eleitos. Em 2018, o partido elegeu 85 representantes. O PT conseguiu maioria em três estados: Minas Gerais, Piauí e Rio Grande do Sul. Em São Paulo, o partido teve o deputado estadual mais votado de 2022 do país: Eduardo Suplicy recebeu 807 mil votos.

O Republicanos foi o partido que registrou a maior alta entre as duas últimas eleições ? passou de 42 deputados para 76, um aumento de 80%. Já o PSDB, que figurou entre os quatro primeiros em 2018, caiu para o 9º lugar, elegendo 54 parlamentares, ante 73 em 2018 ? um recuo de 26%.

União Brasil, que nasceu da fusão do DEM com PSL, ocupa a terceira posição dos partidos com mais parlamentares nas assembleias ? 100. Em 2018, antes da fusão, PSL (ex-partido de Jair Bolsonaro) e DEM tinham eleito 76 e 54 deputados, respectivamente.

O MDB, que liderou a lista de eleitos em 2018, caiu para o 4º lugar. Passou de 93 deputados para 95. O partido conseguiu maioria nas assembleias de Alagoas, Goiás, Mato Grosso e Pará.

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS