REDES SOCIAIS

16°C

Primeiro indulto de Natal do governo Lula 3 exclui condenados no 8/1, por violência contra a mulher e chefes de facções

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

O Ministério da Justiça e Segurança Pública deve receber nesta terça-feira (19) a proposta de texto para indulto natalino, o primeiro do governo Lula 3. O documento foi elaborado pelo Conselho Nacional de Políticas Penais (CNPCP), que é um órgão consultivo da pasta.

Integrantes do órgão avaliam que o documento contempla os valores defendidos pelo governo federal. Há inovações no texto em relação aos indultos concedidos em natais anteriores.

O indulto de Natal é dado para pessoas condenadas que cumprem pena em presídios. Ele é dado por questões humanitárias, mas não para todos os presos. Historicamente, fica fora do indulto quem cometeu crimes hediondos, por exemplo.

Agora, a proposta do Conselho sugere a exclusão de pessoas condenadas por outros crimes.

Não serão contemplados pelo indulto:

  • Presos por crimes contra estado democrático de direito;
  • Preso faccionado com cargo de hierarquia e/ou detidos no sistema federal;
  • Condenados que praticaram crimes de violência contra a mulher;
  • Crimes de preconceito de raça, condições análogas à escravidão;
  • Genocídio;
  • Crimes contra meio-ambiente (inédito);
  • Crimes contra administração pública.
  • Crimes hediondos.

O Conselho é composto por integrantes indicados pelo atual governo e também ao longo do governo do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). As pautas vistas como ideológicas foram temas de debates entre os integrantes.

Entre os temas, a pauta sobre crimes contra mulheres não foi consenso nem entre os indicados pelo ainda ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, aprovado para assumir a vaga deixada por Rosa Weber no Supremo Tribunal Federal (STF) — ele deve assumir em fevereiro de 2024.

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS