REDES SOCIAIS

18°C

‘Quem manda são os parlamentares’, diz Lira após inclusão da carne entre produtos isentos de impostos na reforma tributária

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), afirmou nesta quarta-feira (10), ao comentar a inclusão da carne entre os itens isentos de impostos sobre consumo na reforma tributária, que “quem manda são os parlamentares”.

Lira era contra essa inclusão. Para ele, isso causará o efeito indesejado de aumentar a alíquota do imposto sobre consumo em cima dos demais produtos para não ter perdas de arrecadação.

“O que mais aconteceu é fruto da maioria do plenário. O plenário falou, principalmente, com consciência, ouvindo tudo que foi discutido”, disse Lira após a votação.

“Quem manda são os parlamentares”, completou.

O presidente da Câmara manteve sua posição contrária.

“A posição é errada na alíquota e certa com relação ao que eles pensam sobre itens de cesta básica”, disse.

Projeto aprovado

A inclusão da carne faz parte do projeto aprovado nesta noite pela Câmara e que regulamenta pontos da reforma tributárias, cuja base foi definida no ano passado.

Lira comemorou a aprovação do projeto.

“Terminamos um dia que muitos, há 2 meses, não acreditavam. Se não é a reforma ideal, é a possível, com tantas divergências ideológicas e regionais que o nosso Brasil tem”, disse o presidente da Câmara.

window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

O texto aprovado pela Câmara nesta quarta regulamenta, por exemplo:

  • regras para produtos da cesta básica isentos de impostos;
  • redução de impostos para remédios;
  • pagamento de “cashback” de impostos para famílias de baixa renda após a compra de produtos;
  • produtos que deverão pagar o imposto seletivo, que será cobrado sobre itens que fazem mal à saúde ou à natureza

O texto ainda vai para o Senado. É importante lembrar que as regras da reforma tributária serão aplicadas de forma escalonada nos próximos anos, e todos seus efeitos serão sentidos ao longo do tempo.

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS