REDES SOCIAIS

17°C

Retornando para Câmara, Edna diz não entender “surpresa” dos colegas: “Sabiam que era ilegal”

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

@media only screen and (max-width: 767px) {
.img-wrapper {
margin-bottom: 5px;
}

.content-title {
margin-bottom: 10px;
}
}

A vereadora de Cuiabá, Edna Sampaio (PT), afirmou não entender a surpresa de seus colegas ao saberem de seu retorno após a Justiça Estadual suspender sua cassação na última semana, fruto de um processo disciplinar movido pela Câmara de Cuiabá alegando que a petista realizava “rachadinhas” com a verba indenizatória de sua ex-chefe de gabinete, Laura Abreu. Edna disse que sempre deixou claro aos colegas que sua cassação era ilegal, pois durante as investigações  a Comissão de Ética teria “atropelado” alguns ritos. 

Em um vídeo publicado em suas redes socias, Edna garante que retorna à Casa de Leis para vingar seus eleitores e avisa aos parlamentares desconfortáveis com sua presença serão acionados judicialmente caso venham tentar “criminalizá-la” e não respeitarem a decisão judicial.

“Desde que saiu a notícia do meu retorno, diversos vereadores emitiram suas opiniões sobre o que está acontecendo, alegaram surpresa, mas quem ficou surpresa fui eu, já que a ilegalidade do processo foi divulgada por mim, tanto que o juiz mandou suspender o processo. Tenho direito de exercer meu mandato, não vou me abalar com hostilidades, é importante voltar em razão das pessoas que me elegeram. Estou voltando com vontade e não irei ser arrastada em debates improdutivos me acusando de crimes sem nenhuma decisão da justiça. Teremos muita coisa para fazermos”, disse Edna.

Edna deve retornar para a Câmara de Vereadores nos próximos dias, na última semana uma decisão do juiz Agamenon Alcântara, da Terceira Vara Especializada da Fazenda Pública de Cuiabá, acatar um mandado de segurança da defesa da vereadora e declarar nulidade no processo disciplinar que cassou seu mandato em outubro desse ano. 

Para oficializar seu retorno, a Casa precisará receber notificação judicial e posteriormente a isso, homologar novamente a posse da petista.

Fonte: Isso É Notícia

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS