REDES SOCIAIS

33°C

“Revanchismo de governo e prefeitura tem que ser deixado a parte”, diz relator

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

image

A Câmara Municipal de Cuiabá iniciou nesta sexta-feira (17) os trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Intervenção. A partir de agora, os membros têm um prazo de 120 dias para verificar a possibilidade de desvio de finalidade dos atos praticados pelo governo neste período, podendo ser prorrogado por mais 120 dias. A primeira oitiva prevista é a do interventor, o procurador Hugo Lima.

A CPI é formada pelo vereador Luís Cláudio (PP), que é o presidente. Já o relator é Rodrigo Arruda e Sá (Cidadania) e o membro ficou definido o Sargento Vidal (MDB). O relator enfatizou que a comissão buscará respostas para a população. “Essa parte de revanchismo de governo e prefeitura, temos que deixar a parte. Temos que fazer um trabalho que traga respostas para a população”, diz Rodrigo.

Luís Cláudio, presidente da Comissão por sua vez revelou que uma das investigações da CPI é quanto ao número de mortes que aumentaram por conta da intervenção. Também será investigado o tratamento dado aos servidores da saúde durante a intervenção.

“Juntamos os relatos dos servidores com fotos e vídeos. Armários foram arrombados, eles foram retirados da secretaria. Outro apontamento é o número de mortes que aumentou. Eram 14 no mesmo período anterior, passou para 26 neste período que ficou na intervenção do Estado.Temos 120 dias para apurar isso. Se houve falha da equipe de intervenção, precisa ser responsabilizada”, complementa Luís Cláudio.

Fonte: Isso É Notícia

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS