REDES SOCIAIS

12°C

Servidora com filho deficiente chama Mauro de “insensível” após veto a projeto

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

image

A servidora Solanyara Silva, da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT), mãe de um adolescente deficiente, chamou o governador Mauro Mendes (UB) de “insensível” após o veto do chefe do Palácio Paiaguás ao Projeto de Lei Complementar (PLC) nº 11/2022, que prevê redução de 50% na carga horária de servidores que possuem dependentes com deficiência ou doenças graves. O relato da servidora, acompanhado de parte da sua trajetória ao lado do filho, foi compartilhado em suas redes sociais.

Em 2016, Solanyara conseguiu uma liminar concedendo o direito da redução de carga horária para se dedicar ao filho. A funcionária pública lamentou que outras mães não tenham o mesmo direito, devido ao veto de Mendes.

“É triste meu filho!!! Saber que estamos com um gestor tão insensível a sua vida e a de tantas outras pessoas, mas acreditamos em Deus e sabemos que Ele um dia vai nos dar a calma e a tranquilidade necessária para que todos seus direitos sejam respeitados e sua vida seja valorizada como merece! Só queríamos que outras crianças tivessem a mesma oportunidade que você teve”, pontuou.

Em entrevistas à imprensa, o governador já classificou a redução como um “privilégio” ao funcionalismo público, já que no setor privado muitos trabalhadores não possuem tal direito. Solanyara rebateu o chefe do Paiaguás e pontuou que a sua batalha ao lado do filho é diária e constante.

“Hoje, filho 28/04/2022, o gestor maior de nosso Estado, Mato Grosso, estado que nós dois nascemos, acredita que tudo que fizemos a você foi um “privilégio”, mal sabe ele das nossas dores e de tanto que sofremos para você chegar a ter esse mínimo de autonomia, mal sabe ele o quanto precisamos de suporte financeiro e emocional para estarmos vivos e bem, mal sabe ele que nossa batalha e diária e constante”, destacou.

O veto ao projeto foi publicado no Diário Oficial do Estado da última quinta-feira (28). Deputados como Lúdio Cabral (PT) e Janaina Riva (MDB) já se posicionaram contra o veto e articulam a sua derrubada na Assembleia Legislativa (ALMT).

A proposta de redução da carga horária de servidores que possuem dependentes deficientes foi encaminhada pelo Governo. Contudo, a redução era de apenas 25%, que foi para 50% devido às alterações feitas pelos deputados.

Veja a publicação da servidora no seu perfil pessoal:

Fonte: Isso É Notícia

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS