REDES SOCIAIS

23°C

Serys diz ser contra aposentadoria parlamentar e critica família Bolsonaro

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

image

Mesmo com 20 anos na política mato-grossense, a ex-senadora e pré-candidata a deputada federal Serys Slhessarenko (PSB) se manifestou contra a aposentadoria parlamentar e criticou o presidente da República Jair Bolsonaro (PL) por “fazer a política de profissão”.

Serys atuou por muitos anos na docência da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e para ela, a política deve ser feita de tempos em tempos e não se tornar uma profissão.

“A política não é carreira, você faz ela por determinado tempo, carreira é a profissão que as pessoas exercem, quando acabar esse período na política, as pessoas devem voltar às suas profissões. Apesar de ter o direito, eu não me aposentei como deputada e nem senadora. Eu sou aposentada como professora da UFMT e isso me orgulha muito, eu sou completamente contra a aposentadoria parlamentar”, disse, durante o lançamento da sua pré-candidatura a deputada federal nas eleições deste ano.

LEIA MAIS: Serys aceita convite de Max e anuncia pré-candidatura à Câmara Federal

Além de criticar o tempo que o presidente está na política, Serys ainda enfatizou abominar a “familiocracia”. No entanto, o objetivo do PSB, é fazer uma dobradinha entre mãe e filha esse ano, já que a médica Natasha Slhessarenko é pré-candidata ao Senado.

Para a ex-senadora, não é conveniente entrar na política, assumir o poder e logo em seguida convocar a “família inteira”.

“O que me incomoda e sempre me incomodou é gente que vai para o poder para atender os próprios interesses, familiares e de grupo. Política não é para atender interesse de grupo e sim de toda a sociedade. Nós temos o exemplo de gente que lançou quatro candidaturas com a família e os 4 se elegeram”, explicou Serys, se referindo ao presidente e seus três filhos, o senador Flávio Bolsonaro, o deputado federal Eduardo Bolsonaro e o vereador Calos Bolsonaro.

Serys foi eleita a primeira mulher senadora por Mato Grosso em 2002. Em 2010, ela tentou uma vaga na Câmara dos Deputados, mas não conseguiu ser eleita. Em 2016, a ex-senadora foi candidata à Prefeitura de Cuiabá e em 2018, tentou novamente a Câmara Federal – sem êxito em nenhuma das candidaturas.

Fonte: Isso É Notícia

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS