REDES SOCIAIS

33°C

TCU autoriza concessão do aeroporto de Congonhas e outros 14 terminais; veja lista

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

O Tribunal de Contas da União (TCU) deu aval nesta quarta-feira (1º) à concessão do aeroporto de Congonhas, em São Paulo, e de outros 14 terminais.

Os ministros aprovaram a proposta do relator do processo no TCU, ministro Walton Alencar. Ele entendeu que não houve irregularidades e que o processo de desestatização pode prosseguir.

?Não foram identificadas quaisquer irregularidades ou impropriedades que desaconselhem a continuidade da sétima rodada de concessões aeroportuárias?, afirmou.

O governo espera fazer o leilão desses terminais ainda neste ano, mas as eleições presidenciais em outubro são um obstáculo ? assim como acontece, por exemplo, com a privatização da Eletrobras.

A lista completa dos terminais a serem leiloados nesta etapa é composta por:

  • Congonhas e Campo de Marte (SP);
  • Campo Grande, Corumbá, Ponta Porã (MS);
  • Belém, Santarém, Marabá, Parauapebas e Altamira (PA);
  • Jacarepaguá (RJ);
  • Montes Claros, Uberlândia e Uberaba (MG);
  • Macapá (AP).

O sétimo lote de concessões aeroportuárias foi aprovado pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) em dezembro de 2021 ? na época, ainda estava incluído no pacote o aeroporto Santos Dumont, no Rio.

Os ministros também determinaram que a área técnica do TCU fará uma auditoria para avaliar os serviços públicos oferecidos pelas concessionárias, principalmente em critérios de qualidade, segurança e rapidez dos investimentos.

Sem Santos Dumont

Em fevereiro, o governo atendeu a um pedido do governo do Rio e retirou o Santos Dumont do pacote ? a previsão é que essa concessão seja feita no segundo semestre de 2023, junto com o terminal do Galeão.

Nesse sentido, o relator avaliou positivamente a decisão de retirar o aeroporto Santos Dumont deste bloco de privatizações.

Alencar ressaltou que o estado do Rio de Janeiro tinha ?sensíveis preocupações? de que os dois aeroportos operariam com uma ?concorrência predatória? enquanto estivessem sob a gestão de concessionárias diferentes.

“A melhor alternativa em estudos acerca do tema é a concessão conjunta dos dois aeroportos”, afirmou.

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS