REDES SOCIAIS

22°C

TCU manda empresa VTCLog se manifestar sobre contrato suspeito com Ministério da Saúde

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Com base no relatório final da CPI da Covid, o Tribunal de Contas da União (TCU) determinou nesta quarta-feira (13) à empresa de transporte VTCLog que se manifeste no processo sobre suspeita de irregularidades em contrato assinado com o Ministério da Saúde.

Ainda não há prazo para a empresa apresentar versão sobre o caso porque o pedido de manifestação será formalizado depois que a área técnica do TCU analisar as conclusões do relatório da CPI.

O próprio TCU já havia mandado suspender no ano passado um termo aditivo no contrato firmado entre a VTCLog e o Ministério da Saúde para transporte de insumos. Conforme mostrou o Jornal Nacional na época, a suspeita é de pagamento de valor 18 vezes superior ao recomendado pelos técnicos do ministério. À CPI, a VTCLog negou irregularidades no contrato (vídeo abaixo).


window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

O tribunal também já havia determinado audiências com Roberto Ferreira Dias, ex-diretor do Departamento de Logística do Ministério da Saúde, e com Alex Lial Marinho, ex-coordenador-geral de Logística de Insumos Estratégicos da pasta e auxiliar do ex-ministro Eduardo Pazuello,

Nesta quarta, diante das conclusões apresentadas em relatório final da CPI da Covid, o relator, ministro Benjamin Zymler, entendeu ser necessária a manifestação da empresa em razão dos fatos narrados no relatório. Os demais ministros do tribunal acompanharam Zymler.

No relatório, a CPI da Covid narra a existência de indícios de um possível esquema de corrupção no contrato celebrado entre a VTCLog e o Ministério da Saúde.

Entre esses indícios, está o chamado “jogo de planilha”, um recurso em que a empresa apresentou proposta ao ministério oferecendo descontos muito significativos em quase todos os serviços de armazenagem, exceto para o serviço de ?manipulação de item para atendimento (picking) ? por item?. É sobre esse serviço que paira a suspeita de sobrepreço.

Além disso, a CPI narra a realização de saques expressivos em espécie das contas bancárias da VTCLog (mais de R$ 5 milhões no período de 2018 a 2021) e o pagamento, com recurso sacado em espécie do caixa da VTCLog, de pelo menos um boleto de Roberto Ferreira Dias por supostos serviços prestados a ele pela Voetur Turismo, empresa do mesmo grupo empresarial da VTCLog.

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS