REDES SOCIAIS

15°C

Transição: equipe de Lula vê ‘politização’ e ‘desmonte financeiro’ na PF e na PRF

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Integrantes do núcleo de Justiça e Segurança Pública da equipe de transição de governo avaliaram à GloboNews que há “politização” e “desmonte financeiro” na Polícia Federal (PF) e na Polícia Rodoviária Federal (PRF).

A equipe do presidente eleito Lula (PT) se reunirá nesta quarta-feira (23) para discutir as restrições financeiras nos órgãos.

Somente neste mês, PRF decidiu limitar os serviços de manutenção em viaturas em razão de questões financeiras. Além disso, a PF suspendeu a confecção de passaportes por falta de verba (veja detalhes no vídeo mais abaixo).

“Há um ambiente de politização e desmonte financeiro”, disse à GloboNews um dos integrantes da equipe de transição.

O núcleo de Justiça e Segurança Pública se reunirá com a Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais. No encontro, a entidade vai tentar explicar que os policiais rodoviários federais são uma coisa, e a atual gestão da PRF ? alvo de investigação ?, outra.

“Os PRFs não têm nada a ver com a alta gestão. Os bons resultados apresentados pela categoria foram usados indevidamente pelo presidente Jair Bolsonaro, pois a PRF é uma instituição de Estado e não de governo”, afirmou um integrante da federação, na condição de anonimato.

Leia também:


window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

Política nacional de segurança

A GloboNews apurou que o objetivo da equipe de transição é estabelecer uma política nacional de segurança pública mais unificada e coordenada nacionalmente.

Entendem que, se já estivesse em vigor, poderia ter desfeito mais rapidamente os bloqueios ilegais feitos em rodovias por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro contra o resultado das eleições.

Em relação à PF, o grupo de transição entende que precisa dar soluções orçamentárias.

O governo Bolsonaro já informou que deve liberar recursos para a retomada da confecção de passaportes, mas não deu data para a medida ser implementada nem informou quando o documento voltará a ser confeccionado.

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS