REDES SOCIAIS

19°C

Vídeo mostra brasileira procurada por tentativa de homicídio em SP após prisão na Espanha

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email
window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

Imagens divulgadas pela polícia da Espanha nesta terça-feira (12) mostram a prisão de Aline Fernanda de Siqueira Maschietto em Málaga, a 534 quilômetros de Madri. A brasileira estava foragida da Justiça de São Paulo desde outubro de 2022, quando foi acusada de tentativa de homicídio em Ribeirão Preto (SP).

Nas imagens fornecidas pela assessoria da Unidade Central Operativa da Direção Geral da Guarda Civil, a brasileira aparece sendo conduzida ao departamento de polícia para identificação e registro da prisão.

Aline foi encontrada próximo à casa onde estava vivendo com uma amiga na região da costa Sul do país.

Procurada pelo g1, a defesa de Aline no Brasil disse nesta terça-feira que não tomou conhecimento da prisão e informou que aguarda o início da fase de instrução da ação no tribunal de Justiça paulista.

Ao g1, o comandante Vaquero, da assessoria da Guarda Civil, informou que Aline deve seguir na quarta-feira (13) para Madri. Ela ficará à disposição da Justiça local, que fará o contato com o Ministério da Justiça brasileiro para tratar sobre o processo de extradição.

Aline havia sido vista pela última vez na capital espanhola em novembro deste ano, após retirar uma queixa de estupro contra o advogado Cándido Conde-Pumpido Varela, filho do presidente do principal órgão de Justiça da Espanha.

Segundo informações do Jornal El País, ela disse às autoridades ter sido vítima de estupro na casa do advogado.

Dias depois, quando imagens de câmeras de segurança não indicaram nada suspeito e um laudo médico descartou lesões no órgão genital da brasileira, ela retirou a queixa, sob a justificativa de que não estava mentalmente bem porque havia bebido.

O periódico espanhol disse ainda que ela teria manifestado intenção de voltar ao Brasil.

Com o destaque dado pela imprensa internacional à denúncia de estupro, veio à tona a informação de que Aline era procurada pelas autoridades brasileiras por uma tentativa de homicídio em 2022, em Ribeirão Preto.

LEIA TAMBÉM:

Investigação no Brasil

Segundo o inquérito policial em Ribeirão Preto, em 4 de março de 2022, um homem de 35 anos foi esfaqueado em um quarto de hotel na Avenida Presidente Kennedy, importante via de acesso da cidade.

De acordo com informações da Polícia Civil, o homem foi encontrado esfaqueado por um funcionário que ouviu, por trás da porta trancada, gritos dele pedindo para que arrombasse o quarto. De acordo com o boletim de ocorrência, a vítima gritava “ela vai me matar”. O homem foi hospitalizado e sobreviveu.

Consta no boletim de ocorrência registrado na época que Aline disse ter conhecido o rapaz em um aplicativo de relacionamentos antes de ir morar fora do país.

Ela alegou à polícia que havia acabado de voltar do México e por isso marcou um encontro com o homem no hotel, mas que acabou tendo uma discussão com ele. Segundo a investigada, a discussão ocorreu depois que ele chamou outra mulher para ficar com ele no apartamento.

Aline contou ainda que, durante a discussão, o homem a ameaçou com uma faca e que ela se defendia da investida dele quando o funcionário do hotel que arrombou a porta do quarto apareceu e separou o casal. Ela também afirmou que o homem havia jogado as chaves do flat pela janela.

Falta de respostas

Em julho de 2022, segundo informações da Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP/SP), o inquérito da Polícia Civil foi concluído e apresentado à Justiça. Na ação, Aline passou a ser acusada por tentativa de homicídio qualificado por motivo torpe e meio que dificultou a defesa da vítima.

Ela foi citada a apresentar suas alegações, mas não se posicionou no âmbito do processo nem instituiu um advogado para acompanhar o caso. Em outubro de 2022, foi alvo de um mandado de prisão preventiva, com validade até 2042.

Desde então, ela era considerada procurada, segundo informações do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

No despacho, a Justiça levou em consideração o local incerto da ré, bem como o risco à “tranquilidade pública”.

No fim de novembro deste ano, o juiz Giovani Augusto Serra Azul Guimarães expediu novo mandado de prisão a fim de pedir a colaboração dos órgãos internacionais para a captura de Aline e o retorno dela ao Brasil para que o processo possa seguir seu trâmite e para assegurar eventual aplicação da lei penal.

Vídeos: Tudo sobre Ribeirão Preto, Franca e região

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS