REDES SOCIAIS

18°C

WS diz que disputa pela Prefeitura de Cuiabá deve afastar Botelho do UB

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

image

O deputado estadual por Mato Grosso, Wilson Santos (PSD), falou nesta terça-feira (15) sobre as articulações partidárias em torno da disputa pela prefeitura de Cuiabá em 2024. Em entrevista ao Podcast ‘Cast do Bom’, o parlamentar avaliou que a possível candidatura do deputado estadual Eduardo Botelho (União Brasil) tem sido motivo racha na sigla.

Isso porque, apesar de Botelho já ter colocado seu nome à disposição, o governador de Mato Grosso Mauro Mendes (União Brasil) e seu grupo político defendem o nome de Fábio Garcia, deputado federal e atual presidente da sigla no Estado.

Segundo o pessedista, o racha acontece devido a ‘divisão’ de dois grupos no partido. O primeiro, com nomes mais ‘antigos’ na política, como o do senador Jayme Campos, do ex-governador de Mato Grosso e atual deputado estadual, Júlio Campos e o próprio Botelho. Enquanto a segunda ala possui nomes mais ‘recentes’, como o de Mendes, do atual secretário da Casa Civil, Mauro Carvalho e possivelmente o secretário da Fazenda, Rogério Gallo (atualmente sem partido).

“Tá na cara, o grupo dos Campos e do Botelho é um grupo tradicional, já o grupo do Mauro Mendes, Mauro Carvalho e o próprio Gallo, é um grupo mais recente. Ele [o governador] é empresário e só vem para a política em 2008. O Mauro não tem ligação nenhuma com os Campos, não tinha ligação com ninguém da política […] Nessa situação nós temos o velho e o novo que se juntaram por conveniência. […] O problema começa quando o grupo dos Campos não se sente atendido na gestão Mauro Mendes”, disse.

Ao falar sobre os grupos, Wilson enfatizou que a eleição municipal será determinante para o futuro de Botelho no União. Visto que, com a rusga instaurada dentro do partido, ele tem sido um dos principais articuladores em torno da ida do colega para o PSD, sigla a qual faz parte e é comandada pelo atual ministro da Agricultura Carlos Fávaro.

“O modus operandi deles é diferente do Mauro, eles estão em um momento de separação e as eleições municipais vão levar esse distanciamento. O candidato do Mauro nunca foi o Botelho, se duvidar, ele deve estar na quinta ou sexta posição e o Botelho que ser candidato à prefeitura de Cuiabá, independente do partido”, enfatizou.

Fávaro de olho em Botelho

Após visitar a sede do Ministério da Agricultura e Abastecimento (MAPA), nesta segunda-feira (13), Botelho negou à imprensa nesta quarta-feira (15) que sua ida até Brasília tenha sido para tratar de sua ida para do PSD.

Segundo ele, houve o convite e ele agradeceu, mas o assunto tratado foi a cadeia produtiva da carne bovina de Mato Grosso. “Houve sim um convite, ele disse que a porta do PSD estaria aberta e eu agradeci, foi simples assim”, explicou.

Fonte: Isso É Notícia

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS