REDES SOCIAIS

24°C

Zelensky visita porto durante retomada das exportações de grãos na Ucrânia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, visitou um dos principais portos do Mar Negro da Ucrânia nesta sexta-feira (29), uma semana após um acordo com Rússia, Turquia e a ONU para criar corredores seguros para navios exportarem grãos que estão presos no país desde o início da guerra, cinco meses atrás.

Sua visita a um porto na região de Odesa ocorre quando trabalhadores foram vistos preparando terminais para exportação de grãos, que serão utilizados por milhões de pessoas em todo o mundo, afetadas pela crise de alimentos.

?O primeiro navio, o primeiro navio está sendo carregado desde o início da guerra?, disse Zelensky.

Ele disse que a exportação de grãos começará com a saída de vários navios que foram carregados, mas não puderam sair dos portos ucranianos após a invasão russa.

?Nosso time está totalmente preparado. Enviamos todos os sinais para nossos parceiros ? a ONU e a Turquia, e nossos militares garantem a situação de segurança?, disse ele, acrescentando que ?é importante para nós que a Ucrânia continue sendo o garante da segurança alimentar global?.

As complexidades do acordo e as preocupações com a segurança das tripulações de navegação fizeram com que o negócio começasse devagar e com cautela. Já faz uma semana desde que ele foi assinado, e nenhum grão ainda saiu dos portos. Porém, os lados estão caminhando contra o tempo, uma vez que o negócio só é válido por 120 dias.

Isso ocorre uma semana depois que mísseis russos atingiram Odesa, questionando o compromisso de Moscou com o acordo assinado apenas algumas horas antes.


window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

A meta nos próximos quatro meses é retirar cerca de 20 milhões de toneladas de grãos de três portos marítimos ucranianos bloqueados desde a invasão de 24 de fevereiro

?Estamos prontos?, disse o ministro de infraestrutura da Ucrânia, Oleksandr Kubrakov, a repórteres no porto de Odesa na sexta-feira.

Desde que o acordo foi assinado há uma semana, as companhias de navegação não se apressaram porque minas explosivas estão à deriva nas águas, os armadores estão avaliando os riscos e muitos ainda têm dúvidas sobre como o acordo se desenrolará.

O acordo estipula que a Rússia e a Ucrânia fornecerão ?garantias máximas? para os navios que enfrentarem a jornada pelo Mar Negro até os portos ucranianos de Odesa, Chernomorsk e Yuzhny.

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS