REDES SOCIAIS

21°C

Apesar de lista tríplice só de homens, advogada diz que OAB foi “corajosa” em criar disputa igualitária

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Fred Moraes

Única News

@media only screen and (max-width: 767px) {
.img-wrapper {
margin-bottom: 5px;
}

.content-title {
margin-bottom: 10px;
}
}

A Procuradora do Estado, Glaucia Amaral, que pleiteava a vaga de advocacia na escolha de desembargador ou desembargadora do Tribunal de Justiça de MT, pelo chamado “quinto constitucional” destinado à Ordem dos Advogados do Brasil seccional de Mato Grosso (OAB-MT), comentou a formação da lista tríplice para o cargo, que acabou sendo formada por três homens, em decisão do pleno do TJ.

A OAB-MT formou lista sêxtupla levando em conta a paridade de gênero – com 3 homens e 3 mulheres. Em sessão na manhã de hoje (19), as três mulheres, entre elas Glaucia, foram excluídas da disputa. O governador Mauro Mendes (União) deverá escolher o novo desembargador entre os advogados Hélio Nishiyama; Abel Sguarezi e Flaviano Taques. Foram vencidas as advogadas: Glaucia, Juliana Zafino e Dinara de Arruda.

Em nota ao , Glaucia afirmou que a decisão do Tribunal é soberana e destacou que a OAB foi corajosa em escolher homens e mulheres na mesma proporção para a disputa.

“Em primeiro lugar, temos que respeitar as decisões do nosso Tribunal de Justiça, que sempre foi um tribunal de vanguarda em relação à igualdade, tendo muitas desembargadoras em sua composição. Todos os Desembargadores e Desembargadoras tinham uma tarefa difícil na escolha. É um momento de transformação no judiciário, que caminhará inexoravelmente para a igualdade. A lista da OAB é excelente, os colegas homens também têm méritos. E a OAB/MT foi corajosa em trazer homens e mulheres em pé de igualdade.”

Glaucia lembra que Mato Grosso figura entre os estados com os maiores “resultados violentos da desigualdade de gênero” e por isso é necessário pensar em que mensagem é repassada para jovens mulheres.

“No entanto, independente da seriedade dos integrantes da corte, do resultado ter surgido da escolha natural, a mensagem transmitida à sociedade mato-grossensse, um Estado mergulhado nos resultados violentos da desigualdade de gênero, precisa ser pensada. Todas as mulheres participantes da lista foram honradas, por sua coragem e sua própria história que nos fizeram chegar aqui. Preocupa-me as meninas, as adolescentes, especialmente aquelas da periferia, que pouco compreendem os poderes, e recebem sempre a mensagem de que o poder não é acessível às mulheres”, afirma.

A advogada Dinara de Arruda também comentou a formação da lista tríplice e agradeceu a oportunidade de concorrer. “Foi uma honra participar do pleito para a escolha da formação da lista para concorrer aos 5° constitucional do do TJMT, na vaga destinada a OAB. Uma honra e uma alegria. Foi gratificante o reconhecimento profissional e pessoal ao longo de 28 anos de advocacia efetiva. Tudo no tempo de Deus”, escreveu.

Gisela Cardoso, presidente da OAB-MT, destacou o perfil dos profissionais que estão na lista tríplice. “Na lista enviada pela OAB-MT constam nomes de profissionais que representam e engrandecem a advocacia mato-grossense, com trabalhos prestados através da nossa instituição. Agora é momento de parabenizar os três nomes escolhidos e também enaltecer as três advogadas que fizeram uma campanha muito bonita e honesta, fazendo história. Temos muito orgulho da lista sêxtupla que apresentamos”, afirmou. 

Hélio Nishiyama é nomeado

Poucas horas após a escolha do pleno do TJ formar a lista tríplice, o governador Mauro Mendes nomeou, em edição extra do Diário Oficial, o advogado Hélio Nishiyama como o novo desembargador pelo quinto constitucional da OAB-MT.

“Por sua trajetória profissional, ele conseguiu figurar em primeiro lugar, tanto na lista da OAB, como na do Tribunal de Justiça. E por esses motivos, ele foi nomeado o novo desembargador do Tribunal de Justiça”, afirmou o governador.

Hélio Nishiyama é especialista em Direito Penal e Processo Penal – Universidade Cândido Mendes do Rio de Janeiro (2011). Especialista em Didática do Ensino Superior – Universidade de Cuiabá (2015). Professor de Direito Penal e Processo Penal na Graduação e na Pós-Graduação lato sensu. Aluno especial no Programa de Mestrado Profissional do Instituto Brasiliense de Direito Público (IDP). Conselheiro da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Mato Grosso. Membro da Comissão de Concurso Público para provimento do cargo de Promotor de Justiça Substituto no Ministério Público do Estado de Mato Grosso.

Fonte: Isso É Notícia

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS